Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jitsukawa estava bêbedo e ia pilotar um avião de passageiros. Foi condenado a dez meses de prisão

O piloto japonês tinha dez vezes mais álcool do que o permitido. Foi condenado a dez meses de prisão

Katsutoshi Jitsukawa tem 42 anos e é piloto de aviões comerciais. Ia levantar voo da pista JL44 do aeroporto de Heathrow, em Londres, com destino a Tóquio. Estava bêbedo. Foi apanhado a tentar disfarçar o hálito a álcool e acabou por ser detido: tinha dez vezes mais álcool no sangue do que o nível máximo legalmente permitido. Agora, foi condenado a dez meses de prisão.

“É um piloto experiente, mas, claramente, esteve a beber durante um longo período de tempo pouco antes de entrar ao serviço e de ir para o avião”, disse o juiz, citado pelo jornal britânico “Telegraph”. “Mas o mais importante é que a segurança de todas as pessoas a bordo de um voo de longo distância, potencialmente de mais de 12 horas, foi colocada em risco pela sua embriaguez e bebedeira. As potenciais consequências para aqueles que estavam a bordo eram catastróficas.”

A 28 de outubro, Katsutoshi Jitsukawa estava escalado para ser copiloto de um voo da Japan Airlines, mas foi detido 50 minutos antes de entrar para a cabine. Um segurança notou o cheiro forte a álcool no seu hálito, os olhos brilhantes e a dificuldade em manter-se direito. Foi confrontado com o facto e acabou por admitir que bebera um whisky na noite anterior.

Entretanto, sob pretexto de que se esquecera do casaco dentro do avião, Katsutoshi Jitsukawa voltou à cabine. “O segurança regressou também ao avião e encontrou o acusado na casa de banho a lavar a boca e a gargarejar com elixir”, disse o juiz durante a audiência.

Jitsukawa foi retirado da aeronave e submetido a uma espécie de teste do balão. Falhou. Legalmente, o limite de álcool por cada 100 ml de sangue não deve passar das 20 miligramas. Jitsukawa acusou 189 miligramas, refere a CNN.