Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hacker acedeu a dados de cerca de 500 milhões de clientes da cadeia de hotéis Marriott

Bloomberg/Getty Images

Bases de dados estão em risco desde 2014 e pertenciam a uma cadeia, a Starwood, que foi adquirida pelo grupo hoteleiro em 2016. No caso de 327 milhões de clientes, os dados roubados incluem nome, morada, número de telefone, número de passaporte, entre outra informação

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Os dados de pelo menos 500 milhões de clientes da cadeia de hóteis Marriott estão em risco depois de um hacker ter tido acesso a bases de dados de reservas.

O grupo hoteleiro confirmou a informação e esclareceu que o primeiro acesso aconteceu em 2014 e continuou para lá dessa data. Trata-se de bases de dados da cadeia Starwood, dona de hóteis como o W Hotels, Sheraton, Le Méridien e Four Points by Sheraton, e que foi adquirida pela Marriott em 2016 e mantém um sistema de reservas que é diferente do dos hotéis Marriott.

A empresa garantiu que já tomou medidas para investigar a falha de segurança e que irá notificar todos os clientes cujos dados constam das referidas bases de dados que foram acedidas por “parte não autorizada”.

No caso de 327 milhões de clientes, os dados que foram expostos incluem o nome, a morada, o número de telefone, o número de passaporte, informações que constam da sua conta Starwood, data de nascimento, sexo e informações sobre a data de “check-in” e “check-out”.

A empresa admite ainda que, embora encriptada, a informação sobre cartões de pagamento possa ter sido roubada e descodificada. “Lamentamos profundamente que isto tenha acontecido”, referiu a Marriott em comunicado. Foi criado um site para que os clientes afetados saibam como proceder face à situação reportada.