Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

China detém 576 pessoas por contrabando de lixo estrangeiro este ano

A China baniu, no início deste ano, a importação de 24 tipos de resíduos sólidos, incluindo plásticos, papel e tecido, visando combater os danos para o ambiente e a saúde pública

As autoridades chinesas detiveram 576 pessoas por contrabando de lixo procedente do estrangeiro, entre janeiro e outubro, informou esta quarta-feira a imprensa local, depois de a China ter deixado de importar vários tipos de resíduos sólidos.

No total, as autoridades do país confiscaram 1,46 milhão de toneladas de lixo, detalha a agência noticiosa oficial Xinhua.

A China baniu, no início deste ano, a importação de 24 tipos de resíduos sólidos, incluindo plásticos, papel e tecido, visando combater os danos para o ambiente e a saúde pública.

"É da responsabilidade de todos os países e regiões lutar contra o contrabando transfronteiriço de resíduos sólidos", afirmou o diretor da Administração Geral das Alfândegas da China, Ni Yuefeng.

O país asiático converteu-se no maior importador mundial de lixo desde que começou a importar resíduos para reciclar nos anos 1980, criando um fornecimento extra de metais e materiais que faltavam no mercado doméstico.

A China recebia, por exemplo, dois terços dos resíduos de plástico do Reino Unido.

As autoridades de Pequim consideram agora que os problemas criados pela importação de lixo ultrapassam em muito os benefícios, apontando que, apesar do proveito industrial e criação de emprego, tem um impacto "muito negativo" para o ambiente.

O país já informou a Organização Mundial do Comércio que, a partir de 2019, a proibição irá alargar-se a outros artigos, como titânio, madeira, ferragens, barcos ou aço inoxidável.