Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

No aniversário da Kristallnacht, Merkel deplora aumento de ataques antissemitas

A chanceler alemã esteve numa sinagoga em Berlim a lembrar uma noite que assinalou de forma terrível a natureza do regime nazi antes da guerra

Luís M. Faria

Jornalista

A chanceler alemã Angela Merkel esteve numa sinagoga em Berlim a comemorar o octogésimo aniversário da Kristallnacht, ou noite dos vidros partidos - um evento que marca o início de uma fase especialmente feroz do antissemitismo nazi que rapidamente seria seguida pelo endurecimento das leis contra os judeus.

Entre 9 e 10 de novembro de 1938, foi lançada uma onda de violência contra os judeus na Alemanha e na Áustria. 1400 sinagogas foram atacadas e milhares de lojas que eram propriedade de judeus ficaram com as montras partidas - donde, o nome dado ao evento. Mais de noventa pessoas morreram, e dezenas de milhares foram enviadas para campos de concentração.

Vestida de preto, Merkel falou do imperativo de não esquecer, mas também se congratulou com progressos positivos que tem havido nas últimas décadas. "A vida judaica está a florescer novamente na Alemanha - uma dádiva inesperada que nos é feita depois da Shoah. Mas também assistimos a um antissemitismo preocupante que ameaça a vida judaica no nosso país".

Na Alemanha, como noutros países europeus e não só, os ataques contra judeus têm aumentado recentemente, uns atribuídos a muçulmanos, outros a grupos de extrema-direita.