Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Coronel austriaco terá espiado a favor da Rússia durante décadas

Sebastian Kurz

Bloomberg/Getty

O militar, cujo nome não foi revelado, já se encontra preso, e o chanceler Sebastian Kurz sugeriu que esses casos não ajudam a aliviar tensões já existentes

Luís M. Faria

Jornalista

Um coronel austríaco foi preso sob a acusação de ter espiado a favor da Rússia durante quase 20 anos. A revelação foi feita pelo chanceler austríaco, Sebastian Kurz, durante uma conferência de imprensa, na qual explicou que situações como esta "não melhoram as relações entre a Rússia e a União Europeia".

O coronel, que se encontra reformado, terá mantido as suas atividades ilegais desde os anos 90 até 2018. Kurz não deu pormenores, mas o caso vem na sequência de outro recente em que foi a Holanda a denunciar espionagem russa.

Considerando inaceitável esse tipo de atitude, o chanceler acrescentou: "Neste momento, estamos a exigir informação transparente à Rússia". Pela sua parte, o ministro russo fos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, manifestou-se "desagradavelmente surpreendido" com as notícias.

Em anos recentes, têm sido atribuidas aos serviços secretos russos, em vários países ocidentais, ações que vão desde espionagem e ciberataques até interferências eleitorais - a mais notória das quais nos Estados Unidos, em 2016 - e assassinatos (ou tentativas) de vários dissidentes exilados no estrangeiro.

Embora Moscovo negue invariavelmente as alegações, parece existir entre os organismos de inteligência ocidentais um certo consenso nestas matérias. E a postura agressiva russa contribui para alimentar diferendos pré-existentes, apesar da vontade declarada por alguns líderes, entre eles Donald Trump, de estabelecer relações privilegiadas com o presidente Vladimir Putin, que se acredita ter ordenado várias das ações em questão.