Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Príncipe Carlos promete não ser um rei “intrometido”. “Não sou assim tão estúpido”

O príncipe Carlos e a sua mulher Camilla

Chris J Ratcliffe/WPA Pool/Getty Images

Afirmando que os papéis de soberano e de herdeiro são diferentes, Carlos assegura estar ciente das restrições que encontrará enquanto monarca e garante que o seu comportamento mudará. “Claramente, não vou poder fazer as mesmas coisas que fiz como herdeiro”, diz num documentário da BBC que assinala esta quinta-feira o seu 70.º aniversário

O Príncipe Carlos tem procurado dissipar as preocupações de que será um rei “intrometido” ou até mesmo ativista, dizendo: “Não sou assim tão estúpido”. As suas declarações serão transmitidas esta quinta-feira num documentário da BBC para assinalar o 70.º aniversário do príncipe britânico.

Afirmando que os papéis de soberano e de herdeiro são diferentes, Carlos assegura estar ciente das restrições que encontrará enquanto monarca e garante que o seu comportamento mudará. “É vital lembrar que só há espaço para um soberano de cada vez, não dois”, disse, acrescentando que sempre tentou ser um político não-partidário.

No documentário intitulado “Prince, Son and Heir, Charles at 70” (Príncipe, Filho e Herdeiro, Carlos aos 70), o filho de Isabel II diz ainda que “basta olhar para as peças de Shakespeare, 'Henry V' ou 'Henry IV – partes 1 e 2', para ver a mudança que pode ocorrer”. “Claramente, não vou poder fazer as mesmas coisas que fiz como herdeiro. Opera-se dentro dos parâmetros constitucionais. Mas é uma função diferente”, sublinhou.

Carlos tem sido alvo de críticas ao longo de décadas por causa das suas campanhas em questões como o cultivo de produtos geneticamente modificados, a medicina integrada ou as mudanças climáticas. Confrontado com a preocupação de muita gente de que continuaria a ser assim enquanto rei, respondeu: “Não. Não será assim. Não sou assim tão estúpido. Eu percebo que ser soberano é um exercício diferente.”

O documentário vai para o ar esta quinta-feira, às 21h, na BBC One.