Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Um ato desprezível”. Cinco homens detidos após recriarem em vídeo o incêndio da Grenfell Tower

ADRIAN DENNIS/GETTY

Ouvem-se diferentes gargalhadas. Ruidosas. “Por favor, ajudem-me! Ajudem-me”, diz um dos presentes num tom jocoso. Lamenta-se ainda que o fogo não tenha subido imediatamente até ao cimo, a que se junta um som de sirene. “Saltem da janela!” e “É o que acontece quando não pagam a renda” são alguns dos comentários proferidos durante o vídeo

Um vídeo em que se pode ver uma reconstrução do incêndio da Grenfell Tower, que matou 72 pessoas em junho de 2017, motivou uma investigação policial em Inglaterra. Na segunda-feira à noite, cinco homens, alegadamente os autores do vídeo, foram detidos pela polícia londrina, conta o “The Guardian”. Os homens, com idades compreendidas entre 19 e 55 anos, entregaram-se numa esquadra no sul da capital britânica por volta das 22h e estão sob custódia por suspeitas de ofensa à ordem pública. Incorrem numa pena de prisão até dois anos, uma multa ou ambos.

A história é simples: um pedaço de cartão, retangular, a representar a Greenfell Tower, foi colocado em cima de duas tábuas de madeira, muito perto do lume vigoroso, no que parece ser um jardim ou um quintal de uma habitação. Veem-se as janelas desenhadas, talvez com fita adesiva, e ainda alguns bonecos que representam os que viviam naquela torre. No topo daquele naco de cartão, para não haver dúvidas, pode ler-se “Greenfell Tower”.

Ouvem-se várias gargalhadas. Ruidosas. “Por favor, ajudem-me! Ajudem-me”, diz um dos presentes num tom jocoso. Lamenta-se ainda que o fogo não tenha subido imediatamente até ao cimo, a que se junta um som de sirene. “Saltem da janela!” e “é o que acontece quando não pagam a renda”, são alguns dos comentários proferidos durante o vídeo.

O vídeo circulou nas redes sociais e suscitou a indignação, o que levou a polícia a pedir informações sobre o grupo que o publicou online. O “The Guardian” revela que não se sabe a origem nem a data do vídeo.

O porta-voz da Justice4Greenfell revela que os sobreviventes daquele incêndio de junho de 2017 estão “chocados” e “enojados” pela “desumanidade". Khadija Mamudu, cuja mãe e irmão mais novo escaparam da tragédia, qualificou o vídeo de “ato desprezível”, enquanto a porta-voz da associação Grenfell United, Natasha Elcock, fala de um “ato repugnante de ódio”.

Até a primeira-ministra britânica Theresa May reagiu, considerando este ato como desrespeitoso para quem perdeu a vida na tragédia, assim como para os familiares e entes queridos. “É totalmente inaceitável”, escreveu no Twitter.