Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tunísia prolonga estado de emergência em vigor há três anos

Giulia Fiori Photography/Getty

O novo prolongamento, de mais um mês, ocorre uma semana após um atentado suicida na principal avenida da capital, Tunes, que causou 20 feridos ligeiros

A presidência tunisina anunciou esta terça-feira o prolongamento até 6 de dezembro do estado de emergência no país, em vigor há três anos devido a uma série de ataques terroristas em 2015.

O novo prolongamento, de mais um mês, ocorre uma semana após um atentado suicida na principal avenida da capital, Tunes, que causou 20 feridos ligeiros.

O estado de emergência concede poderes de exceção às forças de segurança, permitindo a proibição de greves e reuniões e a utilização de medidas "para assegurar o controlo da imprensa".

A presidência indicou que o chefe de Estado, Beji Caid Essebsi, tomou a decisão após ter consultado o presidente do parlamento e o primeiro-ministro, Youssef Chahed.

As relações entre Essebsi e Chahed são tensas e a presidência disse na segunda-feira à noite que não aprovava a remodelação anunciada pelo primeiro-ministro e que não necessita da sua ratificação.

A instabilidade política que aumenta com a aproximação das eleições presidenciais e legislativas previstas para 2019 preocupa vários observadores.

Quase oito anos após a revolução e apesar da retoma do crescimento, a Tunísia continua frágil, com um desemprego e uma inflação que agravam as fortes tensões sociais.