Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sete desaparecidos após colapso de prédios em Marselha

GERARD JULIEN/GETTY

Os dois edifícios que desabaram estavam praticamente em ruínas. Autoridades procuram eventuais vítimas

Sete pessoas estão dadas como desaparecidas na sequência do desabamento de dois edifícios esta segunda-feira de manhã em Marselha, França, anunciou o presidente da região Provence-Alpes-Côte d'Azur, Renaud Muselier.

Entre essas sete pessoas está uma mulher que não foi buscar a filha à escola e outra mulher "que nunca saiu de casa", disse Renaud Muselier, citado pela agência France-Press (AFP).

Além disso, embora ainda não fosse possível saber se os desaparecidos viviam nalgum dos prédios que desabaram, dois homens foram filmados na rua por uma câmara de vigilância pouco antes do colapso dos dois edifícios.

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas na sequência do desabamento, ocorrido no centro de Marselha, numa rua do popular quarteirão de Noailles, segundo aquela agência noticiosa.
Os trabalhadores das equipas de emergência disseram à AFP que nos dois edifícios poderiam estar a viver 12 pessoas.

Um porta-voz da prefeitura disse à agência Efe que o incidente ocorreu às 9h30 locais (8h30 em Lisboa).

No local do incidente, o vice-prefeito de Marselha, Julien Ruas, encarregado do Batalhão de Bombeiros, indicou que um dos dois prédios estava considerado em perigo há cerca de dez dias por problemas no primeiro andar. Os ocupantes deste apartamento tiveram, por isso, de ser realojados.

Os dois edifícios, de quatro e cinco andares, que estavam praticamente em ruínas, localizam-se na rua de Aubagne e esta segunda-feira de manhã ficaram reduzidos a uma pilha de lixo.