Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Recém-casados morrem em acidente de helicóptero nos EUA uma hora após a cerimónia

Foto retirada do Facebook

Piloto do aparelho também não sobreviveu

Conheceram-se na faculdade – Sam Houston State University –, no estado do Texas (EUA), e nunca mais se largaram. Uma união que fizeram questão de oficializar cinco anos depois. Will Byler e Bailee Ackerman Byler, ambos com 23 anos, idealizaram durante anos uma cerimónia de sonho, que agora terminou em tragédia.

O jovem casal trocou as alianças no passado sábado numa cerimónia curta – que durou cerca de uma hora e meia – e que contou com a presença dos amigos e familiares mais próximos numa quinta da família no sul do Texas. Foi um dia que teve direito a tudo o que sonharam. Terminado o copo de água, o casal saiu do local num helicóptero rumo à lua de mel, acabando por sofrer um acidente. O aparelho despenhou-se perto de Uvalde, a cerca de 135 km a oeste de San Antonio, refere a BBC. Nem o casal nem o piloto do aparelho sobreviveram.

O helicóptero pertencia ao pai do jovem, mas quem o pilotava há mais de duas décadas era Gerald Green Lawrence, um antigo capitão do Exército que serviu no Vietname. Segundo os familiares, o piloto tinha casado em abril e esperava em breve um segundo neto, conta a CNN.

Os colegas e amigos dos estudantes finalistas do curso de Engenharia Agrícola lamentam a morte de ambos. “Estamos devastados. Mas muito agradecidos por termos passado estes últimos dias com vocês”, escreveu uma amiga no Instagram.

“Só me alivia o facto de que deixaste a terra tão cheia de felicidade e amor. O quão incrível será passar a lua de mel com Jesus?”, questionou, por sua vez, um colega da noiva.

Também o diretor da universidade lamentou a tragédia, sublinhando que o casal "será sempre lembrado pelos seus corações bondosos e seus perfis emocionantes”.

Desconhecem-se ainda as causas do acidente, que envolveu um helicóptero bimotor Bell 206B, mas o Painel de Segurança de Transporte Nacional já anunciou a abertura de um inquérito. As primeiras conclusões devem ser divulgadas nos próximos 15 dias.

Entretanto, as autoridades continuam a recolher os restos dos destroços do aparelho, que foram descobertos no domingo. Mas a operação está a ser dificultada pelo relevo acidentado – as equipas já tiveram de subir durante uma hora uma encosta para chegar ao local do acidente.