Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiros migrantes da caravana da América Central chegaram à Cidade do México

JOHAN ORDONEZ/AFP/Getty Images

Os migrantes chegaram à capital mexicana quatro semanas depois de partirem das Honduras. Trump advertiu repetidamente sobre o avanço da caravana e ordenou que milhares de soldados se deslocassem para a fronteira com o México, fazendo desta uma das bandeiras da campanha para as eleições de terça-feira para o Congresso americano

Os primeiros migrantes da América Central integrados numa caravana que atravessa o México em direção aos EUA, na esperança de encontrar asilo, chegaram este domingo à Cidade do México. Mais de mil migrantes, muitos deles fugindo da violência e das dificuldades financeiras nos seus países de origem, pernoitaram num estádio onde as autoridades da cidade montaram unidades de assistência médica e alimentar.

Antes das eleições para o Congresso norte-americano esta terça-feira, o Presidente dos EUA, Donald Trump, advertiu repetidamente sobre o avanço da caravana e ordenou que milhares de soldados se deslocassem para a fronteira com o México, onde unidades montaram redes de arame farpado este fim de semana.

Os migrantes chegaram à capital mexicana, a cerca de 800 quilómetros da fronteira mais próxima do Texas, quatro semanas depois de partirem da cidade hondurenha de San Pedro Sula. Segundo a imprensa local, milhares de centro-americanos ainda se deslocavam no estado de Veracruz, no estado central de Puebla e no estado de Chiapas, no sul do México.

Quase 2800 pedidos de asilo processados e mais de 1000 deportados, diz Governo mexicano

A Administração norte-americana tem pressionado o país a travar o avanço dos migrantes e o Presidente mexicano Enrique Peña Nieto oferece documentos de identificação temporários e empregos a quem se registe para asilo nos estados de Chiapas e Oaxaca. No sábado, o Governo mexicano anunciou que estava a processar quase 2800 pedidos de asilo e que cerca de 1100 centro-americanos tinham sido deportados.

No famoso santuário à Virgem de Guadalupe, na capital, um grupo de voluntários mexicanos convocou os migrantes através de megafones, oferecendo viagens de autocarro para o estádio, avança a agência Reuters.