Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líderes britânicos querem voltar a ouvir população sobre o Brexit

BEN STANSALL/AFP/Getty Images

Uma carta assinada por 70 empresários e gestores do Reino Unido alerta para o risco de enfrentar a separação da União Europeia com "uma venda nos olhos"

Mais de 70 líderes empresariais assinaram uma carta, exigindo um "voto do povo" no acordo final sobre o Brexit negociado pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. A notícia fez a manchete do site do jornal "Financial Times" deste domingo.

A carta é endereçada ao jornal "Sunday Times", e no texto os empresários e gestores alertam sobre os prejuízos económicos que se seguiriam a "um Brexit destrutivo". Assinado por John Nelson, ex-presidente do Lloyd’s de Londres, Lord Myners, ex-presidente da Marks and Spencer, Martha Lane Fox, fundadora da Lastminute.com, e Richard Reed, co-fundador da Innocent Drinks. James Daunt, presidente executivo da Waterstones e Justin King, ex-CEO da Sainsbury's, também assinaram.

“A comunidade empresarial acreditou que, se o país votasse pela saída, continuaria a haver comércio sem atrito com a UE" pode ler-se no documento. Os empresários e gestores alertam ainda para a necessidade de estabilidade nas relações futuras entre os dois blocos económicos que possam continuar a investir a longo prazo.

O texto refere ainda que as propostas discutidas pelo governo britânico e pela Comissão Europeia estão muito aquém do prometido inicialmente e das atuais relações comerciais. "A incerteza nos últimos dois anos já levou a uma queda nos investimentos, o que tornará nosso país mais pobre ” afirmam os signatários.

“Estamos agora enfrentando uma venda nos olhos ou um Brexit duro e destrutivo. Dado que nenhum dos dois estava na cédula em 2016, acreditamos que a escolha final deve ser devolvida ao público com um voto do povo”, conclui a carta.

Esta iniciativa ocorre depois que centenas de milhares de pessoas marcharam pelo centro de Londres no mês passado para exigir um novo referendo sobre a adesão do Reino Unido à UE. Os organizadores da marcha do voto popular disseram que 700.000 pessoas compareceram à manifestação.

Também o ex-primeiro-ministro Tony Blair escreveu um artigo de opinião este domingo no "Observer" em que pede a todos os deputados que votem contra qualquer proposta do Brexit que Theresa May apresente ao Parlamento e pressionem por outro referendo, alertando que, se eles falharem, haverá uma reação dos eleitores. O ex-líder trabalhista afirma ainda que agora não há resultado que seja bom, ou mesmo razoável, para o país.