Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia Federal investiga assassinato de Marielle Franco

Marielle Franco, vereadora no Rio de Janeiro, foi assassinada a 14 de março de 2018

d.r.

Críticas de obstrução às investigações levam ministro da Segurança Pública do Brasil a pedir investigação da Polícia Federal no caso do homicídio da vereadora do Rio de Janeiro

A procuradora-geral da República brasileira, Raquel Dodge, pediu a abertura de um inquérito delegado à Polícia Federal sobre as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes a 14 de março. Esta decisão surge depois de dois depoimentos recentes que apontavam que uma uma organização criminosa, não identificada publicamente, estaria a obstruir o trabalho da Justiça.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou na passada quinta-feira em Brasília, que a Polícia Federal passa então a acompanhar este processo para apurar as denúncias de que a resolução do crime estaria a ser impedida pela intervenção de um grupo de milicianos (forças policiais paralelas e extra oficiais). "São denúncias extremamente graves", referiu Jungmann numa conferência de imprensa.

A investigação passa agora a ser conduzida por duas instituições em simultâneo , uma conduzida pelo Ministério Público do estado do Rio de Janeiro, onde ocorreram os homicídios, e outra pela Polícia Federal, dedicada não tanto a encontrar o responsável pelas mortes mas por acompanhar o próprio processo de investigação. "Estamos diante de um crime que, sem sombra de dúvida fere a democracia, os direitos humanos e a própria representação popular", concluiu Jungmann.