Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Merkel sai e CDU pode virar à direita

Filha de um pastor luterano, foi eleita chanceler pela primeira vez em 2005. Agora despede-se do poder

FOTO HAYOUNG JEON/EPA

Escolha do sucessor em dezembro e eleições europeias em maio decidem se chanceler se mantém no cargo

Joachim Sauer é um dos alemães que mais sentirão os efeitos de Angela Merkel não se recandidatar ao cargo de chanceler em 2021, e abandonar a liderança da CDU, partido que lidera há 18 anos, em dezembro próximo. O anúncio feito na última segunda-feira é o corolário da “crise política que se instalou na Alemanha depois das eleições de setembro de 2017”, disse ao Expresso Patrícia Daehnhardt, investigadora do IPRI-Instituto Português de Relações Internacionais, apesar de a comunicação surgir depois do tombo eleitoral nas eleições estaduais da Baviera.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para descarregar as edições para leitura offline)