Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Esta sexta-feira foi um dos dias mais mortíferos em Idlib

As pessoas morreram em ataques de artilharia do regime sírio, apesar de um acordo para a criação de uma “zona desmilitarizada”

Pelo menos oito pessoas, cinco das quais civis, foram mortas esta sexta-feira em ataques de artilharia do regime sírio contra a província de Idlib, apesar de um acordo para a criação de uma "zona desmilitarizada", indicou uma organização não-governamental.

A "zona desmilitarizada" para separar os territórios dos insurgentes em Idlib das regiões sob controlo do regime resulta de um acordo entre a Rússia, aliada de Bashar al-Assad, e a Turquia, apoiante de rebeldes, assinado a 17 de setembro e que deveria ter entrado em vigor em meados de outubro.

Mas algumas das condições do acordo não foram respeitadas no terreno e têm ocorrido escaramuças entre as forças governamentais e os rebeldes ou os 'jihadistas'. A violência de esta sexta-feira está entre as mais mortíferas das últimas semanas.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), os tiros de artilharia do regime atingiram esta sexta-feira um setor no sudeste de Idlib, nomeadamente a localidade de Jarjanaz, que faria parte da zona desmilitarizada.

Morreram pelo menos oito pessoas, entre as quais cinco civis, incluindo uma criança, e ficaram feridas perto de 20.

A iniciativa russo-turca permitiu evitar uma ofensiva de grande envergadura do regime contra a região de Idlib (noroeste da Síria).

Desde que foi desencadeada em 2011, a guerra na Síria já causou mais de 360.000 mortos e obrigou milhões a abandonarem as suas casas.