Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Zona ocidental de Cuba em alerta à medida que se aproxima o furacão Michael

Alonso Cupul/EPA

Michael, agora um furacão de categoria 1, intensificou-se com ventos máximos até 140 quilómetros por hora e encontra-se atualmente a 80 quilómetros ao norte do cabo San Antonio, o ponto mais ocidental de Cuba

As autoridades cubanas emitiram, na noite de segunda-feira, o estado de alerta na província de Pinar del Río, a mais ocidental de Cuba, à medida que se aproxima o furacão Michael, que já matou 13 pessoas na América Central.

Michael, agora um furacão de categoria 1, intensificou-se com ventos máximos até 140 quilómetros por hora e encontra-se atualmente a 80 quilómetros ao norte do cabo San Antonio, o ponto mais ocidental de Cuba.

No cabo San Antonio, os 'media' locais relataram nas últimas horas fortes chuvas e rajadas de vento até 170 quilómetros por hora. Várias pessoas foram já retiradas das habitações.

Segundo os meteorologistas do Centro Nacional de Furacões norte-americano, o Michael pode tornar-se num grande furacão, com ventos de cerca de 178 quilómetros por hora, antes de chegar aos Estados Unidos, o que está previsto para quarta-feira.

O furacão vai passar dois a três dias no Golfo do México, que tem águas quentes e condições atmosféricas favoráveis para que cresça.

“Existe a possibilidade real de o Michael aumentar a sua força para um grande furacão”, disse o meteorologista Robbie Berg.

Nos Estados Unidos, o governador Kay Ivey já declarou estado de emergência no Alabama.

É esperado que o furacão, atualmente na ponta oeste de Cuba, chegue à Florida e afete, em especial, partes do sul do Alabama.