Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irlanda implementa legislação para reduzir consumo de álcool. “Não temos uma boa relação com o álcool no país”

Justin Sullivan/Getty Images

Estudo nacional conduzido em 2017 revelou que 39% dos irlandeses consomem álcool de forma excessiva, estando esse consumo associado a mortes na estrada, agressões, suicídio e violência doméstica

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

O Governo irlandês aprovou uma nova legislação para reduzir o consumo de álcool no país, depois de vários anos de discussão sobre o assunto no Parlamento.

A legislação prevê a implementação de uma série de medidas, incluindo a introdução de um preço mínimo por unidade de álcool, restrições nos anúncios publicitários, separação das bebidas alcoólicas dos restantes produtos dentros dos supermercados e introdução de mensagens de alerta nas embalagens contra o cancro.

De acordo com um relatório divulgado em 2015 pela Organização Mundial de Saúde, a Irlanda é o 12.º país com maior consumo de álcool entre adultos. Em 2016, e contabilizados apenas os países europeus, ocupava o 5.º lugar no ranking de consumo por pessoas acima dos 15 anos.

Segundo um estudo de 2017, conduzido pela agência nacional de estatísticas (Central Statistics Office), 39% dos irlandeses consomem álcool de forma excessiva, estando esse consumo, em grande parte dos casos, associado a mortes na estrada, agressões, suicídio e violência doméstica. Em média, morrem três pessoas por dia por consumo excessivo de álcool na Irlanda, de acordo com outro relatório elaborado pelo departamento de Saúde do Governo irlandês.

O ministro da Saúde, Simon Harris, considerou a implementação da nova legislação “um passo importante que contribuirá para o bem-estar de todo o país”. “Sei que a relação que temos com o álcool na Irlanda não é boa, que afeta a nossa saúde e prejudica a nossa comunidade. Isto ajudará a mudar os nossos hábitos de consumo de álcool”, acrescentou o ministro, citado pela “CNN”.

A decisão foi igualmente bem recebida pela Alcohol Action Ireland, organização não-governamental especializada na matéria, que em comunicado referiu que as medidas, “se implementadas de forma coerente e coesa e em tempo oportuno, vão permitir alterar mentalidades e proteger as crianças”.

A Irlanda é o segundo país europeu nos últimos meses a legislar sobre o consumo de álcool, depois de a Escócia o ter feito. Em maio, o Governo deste país aprovou uma lei que determina um preço mínimo por unidade de álcool. Um estudo recente publicado em 2016 pela revista científica “The Lancet” e citado pela “CNN” revelou que o consumo de álcool é o principal fator de risco em todo o mundo para várias doenças e morte prematura de homens e mulheres com idades entre os 15 e os 49 anos.