Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump ataca investigação de “New York Times”. Alegações são “velhas e aborrecidas”

Chip Somodevilla/Getty Images

Segundo o jornal norte-americano, Trump e o pai criaram uma empresa fictícia para não pagar impostos sobre doações e empréstimos e declararam valores abaixo dos reais do património das suas empresas imobiliárias

O Presidente norte-americano acusou esta quarta-feira o “New York Times” de falta de isenção, a propósito do artigo segundo o qual Donald Trump recebeu do pai 413 milhões de dólares, em grande parte provenientes de evasão fiscal.

Na rede social Twitter, Trump acusou o jornal de escrever um artigo tendencioso sobre alegações "velhas, aborrecidas e muitas vezes aludidas".

"Tudo somado, significa que 97% dos artigos deles sobre mim são negativos. Nunca recuperaram de uma má escolha eleitoral", acrescentou, referindo-se ao apoio do jornal à candidatura da sua rival democrata nas presidenciais de 2016, Hillary Clinton.

O artigo do Times, publicado na terça-feira, contraria a imagem que Trump tem apresentado publicamente de um milionário que fez fortuna a partir de um milhão de dólares (cerca de 867 mil euros) que o pai lhe emprestou.

Segundo o jornal, Trump e o pai criaram uma empresa fictícia para não pagar impostos sobre doações e empréstimos e declararam valores abaixo dos reais do património das suas empresas imobiliárias.

O Times diz basear-se em mais de 100.000 páginas de documentos financeiros, incluindo declarações de impostos do pai de Trump, Fred, e das suas empresas.

Um advogado de Trump, Charles J. Harder, disse ao jornal que não houve "fraude ou evasão fiscal" e que os factos citados no artigo são "extremamente incorretos".

A Casa Branca reagiu ao artigo qualificando-o de "um ataque enganador contra a família Trump" e criticou o New York Times e outros 'media' afirmando que "estão obcecados em atacar o Presidente e a sua família em vez de fazer notícias".

O serviço de finanças de Nova Iorque, questionado pela agência Associated Press, disse estar a avaliar as alegações e que explorará todas as vias adequadas de investigação.