Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Republicanos criticam declarações “chocantes” de Donald Trump

Win McNamee/Getty Images

Trump ridicularizou Christine Blasey Ford num comício e Jeff Flake, assim como a senadora republicana Susan Collins, não gostaram. “Foi chocante”, disse Flake, que preferia que o presidente norte-americano não tivesse dito o que disse

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Donald Trump gozou durante um comício em Southaven, no Mississípi, com Christine Blasey Ford, uma das mulheres que acusaram o juiz Brett Kavanaugh de assédio sexual, e alguns dos seus colegas republicanos, cujo voto para a nomeação do juiz ao Supremo Tribunal de Justiça será decisivo, não gostaram da sua atuação. É o caso do senador Jeff Flake, que considerou as declarações do Presidente norte-americano “chocantes”, e de Susan Collins, que foi mais subtil e disse que Trump teve um comportamento “errado”.

Na terça-feira à noite, e já depois de ter reiterado o seu apoio a Kavanaugh, Trump ridicularizou Christine Blasey Ford e a sua audiência no Senado, onde foi ouvida esta semana, à semelhança do juiz americano. “Isto aconteceu há 36 anos. Bebi uma cerveja! Bom, pensa que foi...? Não! Foi uma cerveja. Muito bem, como chegou a casa? Não me lembro. Como chegou lá? Não me lembro. Onde era o lugar? Não me lembro. Há quantos anos foi isso? Não sei. Não sei. Não sei! Não sei! Em que bairro foi? Não sei. Onde é a casa? Não sei! No andar de cima, no de baixo, onde foi? Não sei! Mas eu bebi uma cerveja. Essa é a única coisa de que me lembro. E a vida de um homem está feita em frangalhos”, disse Trump, recebendo da plateia risos e palmas.

Também afirmou que os seus opositores políticos estão a “tentar destruir a reputação de Kavanaugh desde o primeiro segundo em que o seu nome foi anunciado”.

Em entrevista ao programa “Today”, da “NBC”, o senador republicano Jeff Flake disse que preferia que Trump não tivesse feito o que fez. “Não é correto discutir algo tão sensível num comício político”, afirmou. Susan Collins, senadora do Maine que ainda não revelou se irá votar a favor ou contra a nomeação de Kavanaugh ao Supremo Tribunal de Justiça, considerou os comentários “simplesmente errados”. E Lindsey Graham, republicano da Carolina do Sul e fervoroso apoiante tanto de Trump como do juiz norte-americano, disse não ter gostado das palavras do Presidente no comício. “Um ataque vil, cruel e desumano”, descreveu por sua vez Michael Bromwich, advogado de Christine Blasey Ford.

Decorre a investigação do FBI às alegações da professora norte-americano, que acusou Kavanaugh de a ter assediado sexualmente numa festa em 1982. Trump pediu que a investigação estivesse concluída dentro de uma semana - prazo após o qual se avançará para a votação da candidatura de Kavanaugh ao Supremo - mas na terça-feira os advogados de Christine Blasey Ford revelaram que o FBI ainda nem sequer falou com a professora.