Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump está preocupado com os “jovens americanos que vivem tempos assustadores” por arriscarem acusações de abusos sexuais que não cometeram

Chip Somodevilla/Getty Images

Em declarações aos jornalistas na Casa Branca, Trump disse que achava que a máxima era “é-se inocente até prova em contrário” e que na verdade passou a ser “é-se considerado culpado até prova em contrário”, referindo-se ao juiz Brett Kavanaugh, cuja nomeação ao Supremo Tribunal de Justiça foi adiada durante pelo menos uma semana para dar tempo ao FBI para investigar as alegações de Christine Blasey Ford, uma das mulheres que o acusaram de assédio sexual

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Donald Trump não só não parece afetado pelas críticas que lhe têm sido feitas por manter o seu apoio ao juiz Brett Kavanaugh, como esta terça-feira declarou o seu apoio a todos os “jovens rapazes norte-americanos que vivem tempos difíceis e assustadores por poderem vir a ser acusados de algo que não fizeram”.

Sem referir o nome da professora que acusou Kavanaugh, o presidente norte-americano considerou, em declarações aos jornalistas na Casa Branca, que “é muito duro ser-se uma pessoa exemplar durante 35 anos e depois aparecer alguém com acusações que nem as próprias testemunhas corroboram”. “Toda a minha vida me foi dito que se é inocente até prova em contrário, mas agora percebo que é mentira. É-se considerado culpado até prova em contrário.”

A nomeação de Brett Kavanaugh para o Supremo Tribunal foi adiada durante pelo menos uma semana para permitir ao FBI investigar as alegações de Christine Blasey Ford, que acusou o juiz norte-americano de a ter assediado numa festa em 1982. Outras duas mulheres acusaram-no do mesmo - Deborah Ramirez, então colega de faculdade de Kavanaugh em Yale, e Julie Swetnick, que relatou episódios ocorridos em festas também na década de 1980.

Donald Trump continua, no entanto, a estar certo da inocência de Kavanaugh e acredita que o Senado aprovará a sua candidatura ao cargo. Concordou com a abertura de um inquérito “exaustivo” mas rejeitou uma “caça às bruxas” e pediu uma investigação “rápida”, uma vez que toda situação é “injusta” para o juiz norte-americano e “para a sua esposas e as suas preciosas filhas”.