Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pelo menos 34 estudantes morreram numa igreja após sismo e tsunami na Indonésia

JEWEL SAMAD/AFP/Getty Images

Outros 52 estudantes de teologia continuam desaparecidos na sequência do sismo e tsunami que abalou a Indonésia na sexta-feira

Pelo menos 34 estudantes de teologia morreram dentro de uma igreja na ilha de Celebes, que sucumbiu devido ao sismo de magnitude 7,5 seguido de tsunami que abalou a Indonésia na sexta-feira, disse a Cruz Vermelha.

De acordo com a porta-voz da Cruz Vermelha local, Aulia Arriani, 52 estudantes de teologia continuam desaparecidos.

"No total foram encontrados trinta e quatro corpos pelas equipas de resgate", disse Aulia Arriani, afirmando que os 86 estudantes participavam num retiro religioso no distrito de Sigi Biromaru, no norte da ilha.

O difícil acesso ao local tem sido o principal problema das equipas de resgate. "O principal problema é andar na lama mais de uma hora e meia a carregar os corpos", explicou a porta-voz da Cruz Vermelha.

As autoridades indonésias elevaram na segunda-feira para 844 o número de mortos dos terremotos e tsunamis que atingiram a ilha de Celebes na última sexta-feira, mas disseram acreditar que ainda existem "centenas de vítimas" soterradas.

O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB), Sutopo Purwo Nugroho, disse numa conferência de imprensa em Jacarta que acredita que o número de mortos subirá mais porque há "centenas de vítimas" soterradas na lama em Petobo, uma área de Palu.

A Indonésia assenta sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica onde, em cada ano, se registam cerca de 7.000 terramotos, a maioria moderados.

Entre 29 de junho e 19 de agosto, pelo menos 557 pessoas morreram e quase 400.000 ficaram deslocadas devido a quatro terramotos de magnitudes compreendidas entre 6,3 e 6,9, que sacudiram a ilha indonésia de Lombok.