Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“New York Times” revela que Trump recebeu 423 milhões de dólares por ajudar os pais a fugir ao fisco

Ralph Freso/Getty Images

Advogado de Trump garante que o seu cliente não esteve “praticamente envolvido neste assunto”

Uma investigação do “New York Times” revelou que o presidente norte-americano, Donald Trump, envolveu-se num esquema de evasão fiscal para ajudar os pais a fugir ao fisco durante as décadas de 1980 e 1990.

Segundo a investigação, publicada pelo jornal norte-americano esta terça-feira, Trump terá recebido o equivalente a 423 milhões de dólares (cerca de 357 milhões de euros) oriundos do negócio imobiliário do seu pai, Fred Trump. O presidente norte-americano terá herdado uma grande parte da fortuna dos pais precisamente por tê-los ajudado a fugir aos impostos, criando uma empresa falsa com os seus irmãos para desviar donativos no valor de milhões de dólares, afirma o jornal.

Charles Harder, advogado de Donald Trump, garantiu que o seu cliente não esteve “praticamente envolvido neste assunto”, o qual terá sido “tratado por outros membros da família do presidente norte-americano que confiaram totalmente em profissionais da área para garantir o total cumprimento da lei”. Harder também consideriu a investigação “imprecisa” e “altamente difamatória”.

O “New York Times” diz ter tido acesso a “um grande volume” de declarações confidenciais de impostos - mais de 200 no total, tanto de Fred Trump como das suas empresas - e a milhares de documentos nos quais aparecem descritas as operações internas dos negócios do pai do Presidente norte-americano, tendo ainda entrevistado alguns dos antigos funcionários de Fred Trump. Os registos não incluem, no entanto, declarações fiscais do próprio Donald Trump.

Ainda segundo o jornal, Fred e Mary Anne Trump, mãe do presidente norte-americano, terão transferido mais de mil milhões de euros doações e heranças para os filhos cujos impostos nunca terão sido pagos. A Casa Branca ainda não emitiu qualquer comunicado sobre o assunto.

A investigação vem lançar sérias dúvidas sobre declarações feitas pelo próprio Trump durante a campanha eleitoral para as presidenciais americanas de 2016, altura em que garantiu ter feito fortuna à custa do seu próprio esforço.