Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Lixo indigno”, “chocante falha de julgamento”. MNE inglês sob fogo depois de comparar UE com União Soviética

Jeremy Hunt (ao centro) é o novo chefe da diplomacia britânica

Stefan Rousseau/WPA Pool/Getty Images

Na conferência do Partido Conservador, Jeremy Hunt disse que a UE estava a agir como a União Soviética, tentando impedir que qualquer membro deixe o bloco. “A comparação é insultuosa”, disse a embaixadora da Estónia no Reino Unido. “Todos beneficiaríamos ao abrirmos um livro de História de tempos a tempos”, sugeriu porta-voz da Comissão Europeia

Três embaixadores de países da União Europeia (UE) em Londres e antigos diplomatas britânicos criticaram publicamente o ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Jeremy Hunt, por comparar a UE com a União Soviética. Na conferência do Partido Conservador, Hunt disse que a UE estava a agir como a União Soviética na tentativa de impedir que qualquer membro deixe o bloco, tentando punir o Reino Unido.

No domingo, o chefe da diplomacia britânica recordou uma visita à Letónia no início do verão e o papel que o Reino Unido e outros tiveram na transição do domínio soviético para uma democracia moderna e uma economia de mercado. “O que aconteceu à confiança e aos ideais do sonho europeu?”, perguntou. “A UE foi criada para proteger a liberdade. Foi a União Soviética que impediu a saída das pessoas”, acrescentou Hunt.

Citada pela BBC, a embaixadora letã no Reino Unido, Baiba Braže, disse que a comparação é errada, uma vez que os soviéticos “mataram, deportaram, exilaram e prenderam centenas de milhares de moradores da Letónia depois da ocupação ilegal em 1940 e arruinaram as vidas de três gerações”. Em contrapartida, “a UE trouxe prosperidade, igualdade, crescimento e respeito”, prosseguiu.

A sua homóloga estónia, Tiina Intelmann, escreveu no Twitter que “a UE e a União Soviética não [são] comparáveis”. “O regime soviético foi brutal, eu vivi sob ele, a comparação é insultuosa”, acrescentou.

Também o embaixador sueco na capital britânica, Torbjörn Sohlström, escreveu no Twitter que “esperar respeito nas negociações do Brexit é correto, comparar a UE com a União Soviética não é”.

A comparação de Hunt mereceu igualmente a reprovação de antigos diplomatas britânicos. Peter Ricketts, que liderou o Ministério dos Negócios Estrangeiros entre 2006 e 2010, disse que a única punição que o Reino Unido sofrerá pelo Brexit será “autoinfligida”.

“Este lixo é indigno de um ministro britânico dos Negócios Estrangeiros”, disse Ricketts, citado pela BBC, acrescentando: “A UE não é uma prisão de estilo soviético. A sua ordem legal trouxe paz e prosperidade após um século de guerra.” O seu sucessor, Simon Fraser, afirmou que foi uma “chocante falha de julgamento” de Hunt, que sucedeu a Boris Johnson no cargo em julho.

“Eu diria respeitosamente que todos beneficiaríamos – e, em particular, os ministros dos Negócios Estrangeiros – ao abrirmos um livro de História de tempos a tempos”, disse, por sua vez, um porta-voz da Comissão Europeia. Apenas o líder do UKIP (Partido de Independência do Reino Unido), Nigel Farage, pareceu ficar satisfeito com a comparação, dizendo que Hunt estava a usar a sua “linguagem”.