Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irão nega envolvimento de diplomata em atentado frustrado em França

Emmanuel Macron, Presidente francês, e o seu homólogo iraniano Hassan Rouhani apertam a mão na Assembleia Geral da ONU realizada em setembro deste ano

LUDOVIC MARIN/GETTY IMAGES

França acusou um diplomata iraniano de ter estado envolvido num atentado frustrado contra a oposição iraniana em território francês e anunciou o congelamento de bens de duas pessoas, entre elas um diplomata detido na Alemanha

O Governo iraniano rejeitou esta terça-feira as acusações de Paris segundo as quais um diplomata iraniano esteve envolvido num projeto de atentado frustrado em França em junho.

"Mais uma vez, nós desmentimos com veemência essas acusações, condenamos a detenção do diplomata e apelamos para a sua libertação imediata", declarou o porta-voz dos Negócios Estrangeiros iraniano, Bahram Ghassemi, num comunicado enviado à imprensa.

As autoridades francesas lançaram esta terça-feira uma ofensiva contra alvos iranianos ou xiitas em França, sendo alguns deles suspeitos de estarem por detrás de um atentado frustrado em França que está a tornar mais tensa a relação, já de si complicada, entre Paris e Teerão.

As autoridades fiscais francesas anunciaram o congelamento de bens de duas pessoas - uma das quais, um diplomata iraniano detido na Alemanha - e de uma entidade do Ministério das Informações iraniano, acusando-as de estarem na origem do atentado neutralizado em junho contra uma concentração dos Mujaidines do Povo - movimento da oposição que Teerão considera ser terrorista - em Villepinte, perto de Paris.

O comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano foi divulgado pouco antes de uma fonte diplomática francesa ter acusado a "direção das operações do Ministério das Informações [iraniano de ter] ordenado" o atentado frustrado.

Segundo o comunicado iraniano, o caso de Villepinte é uma "conspiração consistente com os objetivos do regime norte-americano e do regime sionista visando sabotar o desenvolvimento e a melhoria das relações entre o Irão e a Europa".

"Apelamos às autoridades francesas para darem provas de realismo em relação ao Irão e alertamos, mais uma vez, para as mãos dos inimigos que procuram sabotar as relações de longa data entre o Irão e a França e outros países europeus importantes", lê-se no texto, citado pela agência de notícias francesa AFP.