Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estudantes palestinianos pedem a Merkel que impeça Israel de demolir aldeia

Thomas Lohnes/Getty

A chanceler alemã irá visitar Israel e alguns estudantes palestinianos já lhe pediram que se interceda em favor da luta dos palestinianos contra a demolição de uma aldeia situada na Margem Oriental - já autorizada pelo Supremo Tribunal israelita

Estudantes palestinianos de uma aldeia na Margem Ocidental, alvo de decisão judicial israelita para ser demolida, pedem a Angela Merkel que intervenha em seu favor, na véspera de uma visita oficial da chanceler alemã a Israel. A aldeia, Khan al-Ahmar, construída pelos próprios habitantes numa zona montanhosa a leste de Jerusalém, foi o palco do alerta dos estudantes, que ergueram cartazes com a fotografia da chanceler alemã, pedindo-lhe que pressione Israel para travar os planos de demolição.

Merkel, que inicia esta quarta-feira uma deslocação oficial a Israel para se encontrar com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e reforçar as relações económicas bilaterais, declarou anteriormente que vai aproveitar no primeiro encontro com o chefe do governo israelita para voltar a apoiar a solução da criação de dois Estados para tentar solucionar o conflito israelo-palestiniano.

A chanceler alemã destacou no passado sábado a boa colaboração entre os dois países e apontou para as possibilidades de reforçar o trabalho conjunto. Relativamente a Khan al-Ahmar, Israel afirma que a aldeia foi ilegalmente construída e oferece como contrapartida à demolição o realojamento dos habitantes noutra área, a alguns quilómetros.

Os palestinianos e outros críticos de Israel afirmam que a demolição visa expandir a ocupação israelita. No passado dia 20 de setembro, oito países europeus, entre os quais a França, Alemanha e Reino Unido, apelaram à não demolição da aldeia, relembrando que a "colonização de Israel é ilegal ao abrigo do Direito Internacional" afirmaram em declaração à ONU, citados pelo jornal francês Le Monde.

O Supremo Tribunal de Israel rejeitou recentemente um recurso final contra a demolição.