Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Seis elementos da extrema-direita alemã detidos por suspeita de criarem organização terrorista para atacar estrangeiros

VINCENT KESSLER/REUTERS

Autoridades acreditam que os membros do grupo de extrema-direita “Revolução Chemnitz” participaram na série de incidentes xenófobos ocorridos na cidade alemã, no final de agosto

Pelo menos seis homens foram detidos na Alemanha esta segunda-feira por suspeita de formarem uma “organização terrorista de extrema-direita” na cidade de Chemnitz, onde este verão se registaram episódios de violência contra migrantes, anunciou a procuradoria federal.

As autoridades acreditam que o grupo planeava mais ataques contra estrangeiros e pessoas que consideravam de esquerda.

Segundo a procuradoria, os seis homens, todos alemães, com idades entre 20 e 30 anos e provenientes da cidade oriental de Chemnitz e arredores, criaram um grupo a que chamaram “Revolução Chemnitz” juntamente com um sétimo membro, que foi detido no mês passado num caso separado.

Na operação policial participaram as autoridades regionais da Baviera e Saxónia, onde se situa Chemnitz, e houve buscas nos dois estados federados em que participaram cerca de 100 agentes.

O presumível líder do grupo, um homem de 31 anos identificado como Christian K., já tinha sido detido a 14 de setembro.

Os outros detidos foram identificados como Sten E., Martin H., Marcel W., Sven W., Hardy Christopher W. e Tom W.

No final de agosto, uma série de incidentes xenófobos ocorreu em Chemnitz na sequência da morte de um alemão de origem cubana alegadamente provocada por requerentes de asilo.

A procuradoria considera provável que os sete suspeitos de formarem o grupo de extrema-direita tenham participado nesses incidentes.

Os suspeitos teriam já começado a procurar forma de obter armas de fogo.

Segundo a procuradoria, o grupo formou-se, o mais tardar, a 11 de setembro e cinco dos suspeitos participaram em ataques a estrangeiros em Chemnitz a 14 de setembro, o que as autoridades acreditam que seria apenas um ensaio para uma operação mais radical que ocorreria no dia da unidade alemã, esta quarta-feira.