Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Fotografia de Macron junto de homem a mostrar o dedo do meio gera polémica em França. “Comporte-se”

Macron sustenta que a fotografia foi partilhada sem contexto. Extrema-direita aproveita para transformar o gesto numa arma de arremesso político

Uma fotografia do presidente francês, Emmanuel Macron, tirada ao lado de um jovem com o dedo do meio erguido está a causar algum mal-estar em França. A fotografia foi tirada durante uma visita de Macron à ilha franco-holandesa de Saint-Martin, nas Caraíbas, um ano depois do furacão Irma.

Macron já veio defender-se, dizendo que a fotografia foi partilhada sem contexto, e defende também o jovem que aparece a fazer o referido gesto. “Respeito todos os filhos da República, independentemente dos seus problemas”, disse Macron, esclarecendo que um dos jovens que aparece na imagem foi recentemente libertado da prisão. Depois da fotografia ser tirada, os dois jovens levaram uma “rapariga com uma deficiência física” ao encontro do presidente francês, algo que só aconteceu porque Macron mostrou “que confiava neles, que os respeitava”, segundo afirmou o próprio. “Esta é a nossa República”, reforçou.

O relato dos factos não terá convencido Marine Le Pen, líder da extrema-direita francesa, que partilhou a fotografia no Twitter com a seguinte legenda: “Não há palavras para expressar a nossa indignação. França não merece isto”. Quem também terá transformado o gesto em arma de arremesso político foi Valerie Boyer, membro do partido de direita Os Republicanos. “Comporte-se, Sr. Presidente”, escreveu.

Em Saint-Martin, Emmanuel Macron encontrou-se com famílias que foram afetadas pelo furacão do ano passado. No domingo passado, mostrou-se indignado com o atraso nos trabalhos de reconstrução e culpou “as empresas que decidiram fazer as coisas ao seu ritmo”, prejudicando muitos residentes que continuam, por exemplo, sem um telhado em casa.