Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Republicanos concordam em atrasar a confirmação de Kavanaugh para permitir investigação do FBI

Win McNamee/Getty

Jeff Flake acabou por conseguir que os membros do Comité Judicial aprovassem uma investigação do FBI a Brett Kavanaugh, o escolhido de Donald Trump para a posição vaga no Supremo Tribunal, por alegados abusos sexuais, antes de o nome do juiz seguir para a confirmação final no Senado

O Comité Judicial do Senado norte-americano seguiu as suas linhas políticas e confirmou Brett Kavanaugh como candidato ao lugar vago no Supremo Tribunal mas um revés no fim da audiência viria a ditar um fim diferente para o dia do juiz que se encontra envolvido em acusações de assédio sexual alegadamente cometidas durante festas de liceu, no início dos anos 1980.

Jeff Flake, senador norte-americano bastante crítico de Donald Trump e cujo voto nesta sessão esteve envolto em dúvida até à 25ª hora, acabou por conseguir que a confirmação final de Kavanaugh (em todo o Senado e não apenas pelo Comité Judicial) fosse atrasada. O Comité Judicial vai mesmo pedir à Casa Branca que dê ordens ao FBI para prosseguir com uma investigação aos alegados abusos sexuais.

O "New York Times" escreve que os senadores não conseguiram ainda falar com o diretor do FBI, Christopher Wray, mas que falaram com Rod Rosenstein sobre se a investigação poderia, ou não, ser feita em apenas uma semana - o prazo máximo aprovado pelos senadores até à votação final no Senado.

  • Brett Kavanaugh vence primeiro teste no seu caminho até ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos

    Depois de um dia inteiro a tentar defender-se das acusações de assédio sexual - credíveis, na opinião até dos republicanos - de Christine Ford, Brett Kavanaugh foi aprovado pelo Comité Judicial do Senado. Está mais perto de ser juiz do Supremo dos Estados Unidos, um cargo vitalício e de grande poder no país. Jeff Flake, senador muito crítico de Trump e indeciso até à última hora, pode ter conseguido garantir uma investigação do FBI às acusações de abuso sexual, o que atrasaria a votação votação final

  • “Não há outra pessoa que eles possam arranjar que não venha a ter um asterisco nos livros de História?”

    Durante a maratona de mais de oito horas de audição do juiz Brett Kavanaugh e da primeira mulher a acusá-lo de abusos sexuais, Christine Blasey Ford, o Senado transformou-se numa arena de combate político. Resta saber se a câmara alta do Congresso dos EUA prossegue com a votação de “um dos juízes mais impopulares a ser nomeado para o Supremo Tribunal”. Nas últimas horas, um senador republicano indeciso disse que ia votar pela confirmação e os democratas abandonaram a sala.