Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Donald Trump autoriza investigação do FBI a Brett Kavanaugh

Brett Kavanaugh

Drew Angerer/Getty Images

Brett Kavanaugh, cuja candidatura ao Supremo Tribunal dos EUA foi aprovada pelo Comité Judicial do Senado numa votação preliminar, já disse estar disposto a cooperar com o FBI

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

O Presidente norte-americano autorizou uma investigação do FBI ao juiz Brett Kavanaugh, acusado de assédio sexual por quatro mulheres, refere um comunicado da Casa Branca divulgado esta sexta-feira.

A decisão contraria as declarações que Trump fez há precisamente dez dias, quando defendeu na sala oval que o FBI “não deve intervir” neste caso e sublinhou que a audição pelo Senado de Kavanaugh e de uma das suas acusadoras, a professora universitária Christine Blasey Ford, que se realizou na quinta-feira, seria suficiente. Na altura, o Presidente norte-americano reiterou também o seu “apoio total” ao candidato ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos, que descreveu aliás como um “homem extraordinário”.

Debra S. Katz, uma das advogadas de Christine Blasey Ford, saudou a decisão de abrir um inquérito mas alertou contra aquilo a que se referiu como “prazos artificiais”. “Nenhum limite de tempo deveria ser imposto a investigação”.

Esta sexta-feira, soube-se que a candidatura do juiz norte-americano foi aprovada pelo Comité Judicial do Senado numa votação preliminar. Caberá agora à câmara alta do Congresso confirmar o nome do magistrado. A votação estava prevista para as 13h30 hora local (18h30 em Lisboa) mas acabou por se realizar vários minutos mais tarde. Votaram a favor da confirmação de Kavanaugh 11 membros republicanos que fazem parte do comité, tendo os restantes elementos, dez democratas, votado contra. Depois da votação, Trump disse que os legisladores republicanos que manifestaram algumas dúvidas sobre a inocência ou não do juiz “têm de fazer o que acham que está certo”.

Jeff Flake, senador republicano, pediu que a votação final no Senado seja adiada cerca de uma semana para permitir a abertura de uma investigação policial a Kavanaugh, pedido a que o Senado terá acedido mas com a condição de limitar o inquérito “às acusações credíveis" apresentadas contra ele.

Também disse que, consoante o resultado da investigação, o seu voto a favor da nomeação do juiz poderá mudar. Questionado sobre se poderá votar a favor na ausência de resultados no prazo de uma semana, Jeff Flake respondeu que a investigação terá de estar concluída dentro desse prazo, caso contrário “vão avançar”.

Entretanto, soube-se que o juiz norte-americano está disposto a colaborar com o FBI. “Durante todo este processo, fui entrevistado pelo FBI, falei com o Senado e ontem [quinta-feira] respondi às questões que me foram colocadas. Fiz tudo o que me pediram e vou continuar a cooperar“, lê-se num comunicado divulgado pela Casa Branca em nome de Kavanaugh.

[NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 22H50]