Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia federal suíça vê Roman Abramovich como potencial ameaça para segurança pública

Peter Macdiarmid/Getty Images

A polícia terá aconselhado as autoridades a rejeitarem o requerimento do dono do Chelsea por suspeitas de envolvimento em lavagem de dinheiro e contacto com organizações criminosas. Abramovich nega quaisquer irregularidades. Em maio, o bilionário retirou o seu pedido de renovação do visto britânico, depois de um atraso, e adquiriu cidadania israelita

O bilionário russo Roman Abramovich viu ser-lhe negada residência suíça depois de a polícia ter alertado que ele poderia constituir uma ameaça para o país alpino. A informação foi avançada esta terça-feira pelo jornal “24 heures” e outros órgãos do Tamedia, o maior grupo de comunicação social da Suíça.

Segundo os relatos, a polícia federal aconselhou as autoridades a rejeitarem o requerimento do dono do Chelsea por suspeitas de envolvimento em lavagem de dinheiro e contacto com organizações criminosas. Abramovich nega quaisquer irregularidades e o advogado Daniel Glasl garante que o seu cliente nunca teve ligações a organizações criminosas.

As alegações são baseadas em suspeitas policiais não verificadas que surgiram depois de o Tamedia ter obtido uma carta escrita pela polícia. O advogado travou uma batalha legal para tentar impedir que a história fosse publicada. O grupo de media venceu essa batalha e agora vários dos seus órgãos noticiaram que a polícia federal vê a presença de Abramovich na Suíça como um perigo para a segurança pública e para a reputação do país.

Advogado apresenta queixa-crime contra “alegações difamatórias”

O advogado do empresário diz-se extremamente desapontado com a publicação de informações confidenciais dos arquivos do Governo suíço. A equipa jurídica apresentou um pedido de correção de factos à polícia e anunciou que pretendia apresentar uma queixa-crime por causa da divulgação das informações. “Apesar de vários pedidos, a polícia federal não forneceu qualquer prova que apoiasse essas alegações difamatórias”, acrescentou.

Abramovich queria estabelecer a sua residência legal na estância alpina suíça de Verbier. Em maio, o bilionário retirou o seu pedido de renovação do visto britânico, depois de um atraso que o terá impedido de viajar para o Reino Unido para assistir à vitória do Chelsea sobre o Manchester United na final da Taça de Inglaterra.

Em consequência, Abramovich adquiriu cidadania israelita, ao abrigo da lei de retorno de Israel, que concede a cidadania a todos os judeus que se mudem para o país. Os titulares de passaportes israelitas podem viajar para o Reino Unido sem visto mas os russos não.

  • Roman Abramovich adquiriu cidadania israelita

    A decisão do empresário russo, dono do Chelsea, surge na sequência da demora do Ministério do Interior inglês na renovação do seu visto. A demora pode estar relacionada com uma linha mais dura adotada em relação aos oligarcas russos a viver no Reino Unido, na sequência do envenenamento do ex-espião russo, Sergei Skripal, e da sua filha, Yulia, em março. Abramovich, que é judeu, exerceu o seu direito ao abrigo da lei do retorno de Israel