Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Há cada vez mais jovens veteranos a suicidar-se nos EUA

John Moore/Getty Images

A maior taxa de mortalidade por suicídio regista-se entre os antigos soldados com idades entre os 18 e 34 anos. Muitos deles combateram no Iraque e no Afeganistão

São cada vez mais os jovens veteranos norte-americanos que se suicidam. Assim o mostram os números divulgados esta quarta-feira pelo Departamento dos EUA para os Assuntos dos Veteranos de Guerra. A maior taxa de mortalidade por suicídio regista-se entre os antigos soldados com idades entre os 18 e 34 anos, tendo esse número passado de 40,4 mortes por 100 mil pessoas em 2015 para 45 mortes já em 2016. Muitos destes veteranos combateram no Iraque e no Afeganistão.

Os dados preocupam Joe Chenelly, diretor-executivo do grupo nacional de veteranos Amvets, que garantiu que “isto não se trata somente de alarmismo” e que estamos perante “uma emergência nacional que exige ações imediatas”. “Passámos a última década a tentar melhorar o processo de transição dos nossos soldados para a vida civil, mas claramente falhámos e há pessoas a morrer”, disse o diretor, para quem os novos números “mostram que ninguém está a conseguir chegar aos veteranos mais jovens, especificamente os da era pós-11 de setembro de 2001, apesar de todos os esforços feitos na área da saúde mental”.

O relatório revela ainda que mais de seis mil veteranos suicidaram-se desde 2008 e que a taxa de suicídio entre os veteranos aumentou 25,9% entre 2005 e 2016. “Os nossos soldados são treinados para ser resilientes, não para pedir ajuda”, afirmou Lana McKenzie, chefe do gabinete médico do Amvets, numa análise ao relatório.

Os números mostram ainda que a probabilidade de os veteranos de guerra se suicidarem com uma arma de fogo é superior à das restantes pessoas. Em 2016, 70% dos suicídios de antigos soldados ocorreram com recurso a uma arma de fogo, quando apenas 48% dos não veteranos o fizeram.

Apesar disso, o número total de suicídios entre veteranos do Exército americano diminuiu entre 2015 e 2016, passando de 6,281 para 6,079.