Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Afinal o vice-procurador dos Estados Unidos não sai já. Talvez na quinta-feira

SAUL LOEB/Getty

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, encontrou-se com o vice-procurador geral, Rod Rosenstein, esta segunda-feira sob rumores de que o despedimento deste último estava para breve. Depois de terem surgido notícias de que o próprio Rosenstein tinha colocado o seu lugar à disposição, o futuro do homem que dirige a investigação ao alegado conluio da equipa de Trump com os russos será decidido na quinta-feira

Rod Rosenstein vai ficar no seu cargo de vice-procurador geral dos Estados Unidos pelo menos até quinta-feira, quando se encontrará com o Presidente Donald Trump para decidir o seu futuro.

O homem que supervisiona a investigação de Robert Mueller, investigador especial, ao alegado conluio entre a equipa de campanha de Donald Trump e russos com ligações ao Kremlin tem sido alvo de críticas por parte de Trump - tal como o têm sido todos os envolvidos nesta investigação que o Presidente considera uma “caça às bruxas”.

Tudo piorou para Rosenstein quando, este fim de semana, o diário “New York Times” publicou um texto em que dizia que o vice-procurador defendia a ativação da “emenda 25” que pressupõe a substituição de um Presidente quando este não reúne as capacidades necessárias para exercer o cargo.

Um conselheiro de Donald Trump disse, sob anonimato, ao jornal “Washington Post” que o Presidente não pressionou Rosenstein a demitir-se mas que o tema do seu possível afastamento foi bastante discutido na Casa Branca durante o fim de semana.