Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria. Rússia adverte Israel para possíveis represálias

OMAR HAJ KADOUR/GETTY IMAGES

Um avião russo foi abatido pela defesa anti-aérea síria depois de um ataque de caças F-16 israelitas na região de Lataquia. “Reservamo-nos o direito de ripostar no futuro”

O ministro da Defesa russo, Serguei Choigu, advertiu esta terça-feira que a Rússia se reserva o “direito de ripostar” à queda de um avião russo ao largo da Síria, de que considera Israel “totalmente responsável”.

“Reservamo-nos o direito de ripostar no futuro”, disse Choigu numa conversa telefónica com o homólogo israelita, Avigdor Liberman, segundo uma nota do seu Ministério.

“A culpa” pela morte de 15 militares russos “repousa inteiramente em Israel”, acrescentou.

O avião russo foi abatido pela defesa anti-aérea síria depois de um ataque de caças F-16 israelitas na região de Lataquia.

O incidente ocorreu na madrugada desta terça-feira, a cerca de 30 quilómetros da costa síria, quando o avião, um Il-20, regressava à base aérea russa de Hmeimim, na Síria, minutos depois do ataque dos caças israelitas.

As Forças Armadas russas acusam Israel de só as ter avisado do ataque iminente “menos de um minuto” antes de ele ocorrer.

Dmitri Peskov, o porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, disse aos jornalistas que o Kremlin está “muito preocupado com a situação”, escusando-se a mais comentários sobre o futuro das relações com Israel.

“A situação está a ser analisada”, disse apenas.