Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria. ONU saúda acordo russo-turco sobre Idlib, um “alívio” para os civis

OMAR HAJ KADOUR/GETTY IMAGES

O acordo fará com que “se evite uma operação militar em grande escala” na região, frisou António Guterres, em comunicado, apelando a “todas as partes na Síria para fazerem aplicar este acordo e garantirem um acesso humanitário seguro”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, saudou o acordo russo-turco alcançado na segunda-feira para criar uma zona desmilitarizada na província síria de Idlib, que permite “um alívio a milhões de civis”.

O acordo fará com que “se evite uma operação militar em grande escala” na região, frisou António Guterres, em comunicado, apelando a “todas as partes na Síria para fazerem aplicar este acordo e garantirem um acesso humanitário seguro e sem entraves a todas as zonas através das rotas mais diretas”.

Esta terça-feira, numa reunião do Conselho de Segurança sobre a Síria, o enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, e o secretário-geral adjunto da ONU para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, também se congratularam com o acordo sobre Idlib.

“Esperamos que o acordo seja rapidamente aplicado, com pleno respeito da lei internacional humanitária, com acesso humanitário permanente, com respeito da soberania, independência, unidade e integridade territorial da Síria e com prioridade para o diálogo”, declarou Staffan de Mistura, reagindo à “excelente notícia”, numa intervenção perante o Conselho de Segurança.

“Se o acordo for aplicado, evitar-se-á uma catástrofe humanitária”, acrescentou Mark Lowcock, insistindo na necessidade de distinguir os civis dos combatentes.

O secretário-geral das Nações Unidas sublinhou também a necessidade de uma “ação rápida” no sentido de se encontrar uma solução política duradoura para pôr termo à guerra civil na Síria.

A esse respeito, De Mistura, recordando a primazia do processo de negociações que está a conduzir em Genebra em relação ao de Astana (Rússia-Turquia-Irão), anunciou que vai “definir uma data para a criação da comissão constitucional”, há meses em discussão, criticando as infindáveis consultas sobre essa comissão destinada a redigir uma nova Constituição síria.

O acordo selado na segunda-feira entre os Presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, suspende a ofensiva anunciada pelo Governo sírio contra o bastião opositor de Idlib.

O pacto prevê a criação de uma zona desmilitarizada de até 20 quilómetros de largura, que dividirá as posições das tropas governamentais sírias e da oposição armada apoiada pela Turquia.

Na província de Idlib, que faz fronteira com a Turquia, encontram-se cerca de três milhões de pessoas, entre as quais um bom número de opositores deslocados de antigos bastiões rebeldes que já foram conquistados pelas forças governamentais sírias, leais ao Presidente Bashar al-Assad.