Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

A história de uma foto que conseguiu angariar quatro milhões de rúpias

A imagem mostra um menino a velar o corpo do pai, que morreu num acidente de trabalho

A família de Anil não tinha dinheiro para o cremar. Morrera há dias e a mulher e o filho ficaram sem sustento. Para pagar a cerimónia fúnebre tiveram de pedir ajuda aos vizinhos. Antes do funeral, a criança chorava junto ao corpo do pai e um jornalista fotografou o momento.

Shiv Sunny trabalha para o “The Hindustan Times” e publicou o registo no Twitter. Em algumas horas, a imagem foi partilhada milhares de vezes e gerou-se uma onda de solidariedade: foram angariados três milhões de rúpias (cerca de 37.500 euros) nas primeiras horas.

“Foi totalmente inesperado. Costumo cobrir a seção de crime e já vi muita tragédia, mas algo como aquilo nunca tinha visto”, explicou Shiv Sunny à BBC. “Só queria chamar à atenção para o problema dos trabalhadores dos esgotos”, acrescentou. Todos os anos, na Índia, cerca de 100 trabalhadores dos esgotos morrem, os sindicatos dizem que o problema está na falta de equipamentos de segurança.

A criança chama-se Gaurav e tem 11 anos. Anil, 37 anos, morreu na sexta-feira enquanto limpava um esgoto em Dabri, na zona ocidental de Nova Deli. Uma semana antes, morreu o irmão de Gaurav, com quatro meses. Sofria de uma pneumonia e a família não encontrou forma de pagar a medicação necessária.

Gaurav costumava sair para o trabalho com o pai. Anil despia-se e entrava no esgoto apenas de roupa interior e Gaurav ficava do lado de fora à espera, a guardar a roupa do pai. “Dizia-me que ainda não tinha idade para entrar nos esgotos”, contou o rapaz ao “The Hindustan Times”.

A família vive com dificuldades, as duas irmãs de Gaurav, de sete e três anos, parecem mais novas do que são. Estão mal nutridas. Nem sempre há comida à hora da refeição. Vivem os quatro numa casa de apenas um quarto.

Após a fotografia ter sido publicada, a Uday Foundation, uma organização não governamental indiana, abriu uma conta no banco e criou um crowdfunding em nome de Gaurav. “A maioria do dinheiro vai ser mantida em depósitos a prazo no nome do menino. Mas parte vai ser entregue à família para ajudar a pagar as despesas de educação e a sustentá-lo”, refere Rahul Verma, fundador da ONG, citado pelo “The Hindustan Times”.

À hora de publicação deste texto, a angariação já estava quase nos cinco milhões de rúpias (aproximadamente 56 mil euros).