Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Posso encontrar-lhe um emprego só atravessando a estrada”, disse Macron a jovem desempregado

Gonzalo Fuentes/Reuters

“Se estiver pronto e motivado, em hotéis, cafés e na construção, onde quer que eu vá, dizem-me que estão à procura de pessoal”, garantiu o Presidente francês. “Envio todos os currículos e cartas de motivação mas isso não leva a lado nenhum”, respondeu-lhe o jovem, citado pelo jornal francês “Le Figaro”

O Presidente de França, Emmanuel Macron, disse este sábado a um jovem jardineiro desempregado que há muitos empregadores a procurarem funcionários. “Posso encontrar-lhe um emprego só atravessando a estrada”, assegurou Macron depois de abordado durante um encontro de rua em Paris.

“Se estiver pronto e motivado, em hotéis, cafés e na construção, onde quer que eu vá, dizem-me que estão à procura de pessoal”, acrescentou o chefe de Estado. Macron começou por perguntar ao jovem se estava registado como desempregado à procura de emprego. “Sim, mas não há nada. Envio todos os currículos e cartas de motivação mas isso não leva a lado nenhum”, respondeu-lhe o jovem, citado pelo jornal francês “Le Figaro”.

Mas Macron insistiu, dizendo que estava “certo” de que alguns dos cafés na zona de Montparnasse precisavam de pessoal. “Francamente, tenho a certeza de que um em cada dois deles estão a recrutar neste momento. Vá em frente!”, sugeriu.

O momento foi registado por várias pessoas, incluindo pelo jornalista Arthur Berdah do jornal “Le Figaro”, que publicou um vídeo no Twitter.

A taxa de desemprego em França ronda os 10%, um valor que fica acima da média europeia. Macron tentou flexibilizar o mercado de trabalho, tornando mais fáceis para as empresas as contratações e os despedimentos de funcionários, e fez cortes no setor estatal. As medidas foram recebidas com protestos e, no início do mês, o Presidente registava os níveis de popularidade mais baixos desde que foi eleito.

Cerca de três milhões de franceses estão à procura de trabalho. O desemprego jovem é particularmente mau, com cerca de um em cada quatro jovens com menos de 25 anos sem emprego.