Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Seis emigrantes prestes a ser deportados da Áustria tentam matar-se pelo fogo

Desde que passou a integrar o Governo austríaco, o Partido da Liberdade prometeu aumentar o ritmo das deportações

Luís M. Faria

Jornalista

Seis emigrantes ilegais na Áustria tentaram matar-se pegando fogo à cela no centro de detenção onde se encontravam. É o último episódio dramático na tensão crescente que rodeia a situação dos candidatos a refúgio no país, sobretudo depois de o Partido da Liberdade, antiemigração, ter passado a integrar o Governo.

Os seis homens, com idades entre os 18 e os 31 anos, são cinco afegãos e um iraniano. Estariam prestes a ser deportados do país. Na nota de suicidio que deixaram, falavam do seu desespero. Após trancarem a porta, incendiaram os colchões e a roupa de cama, criando uma situação que acabou por obrigar à intervenção de cerca de 70 bombeiros.

As autoridades disseram este sábado que os emigrantes ficaram em estado suficientemente grave para obrigar ao seu internamento nos cuidados intensivos. Outras 14 pessoas, incluindo polícias, tiveram de ser tratadas por inalação de fumos.