Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Suspeitos do envenamento do ex-espião Skripal garantem inocência: “A nossa vida tornou-se um pesadelo”

Handout/Getty Images

Alexander Petrov e Ruslan Bochirov afirmam que visitaram a cidade britânica de Salisbury, em março, como turistas e que não tiveram qualquer responsabilidade no caso do envenenamento do espião russo

Os suspeitos do envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e da sua filha garantem que não tiveram responsabilidade no caso e que visitaram Salisbury, na Inglaterra, para fins turísticos.

Em entrevista à estação russa RT, Alexander Petrov e Ruslan Bochirov explicaram os principais motivos da visita à cidade britânica. “Os nossos amigos já nos sugeriam há muito tempo para visitar esta maravilhosa cidade. Existe lá a famosa catedral de Salisbury, conhecida não só na Europa, mas em todo o mundo. É famosa pelos seus 123 metros de altura, é famosa pelo seu relógio, o primeiro deste género que foi criado no mundo e que continua a funcionar”, afirmou Alexander Petrov.

“Estivemos no máximo uma hora em Salisbury, era impossível caminhar na cidade devido às condições climatéricas”, acrescentou.

Os dois indivíduos – que são acusados pelo Reino Unido de pertencerem aos serviços secretos militares da Rússia e de terem envenenado com gás nervoso (novichok) Sergei Skripal e a sua filha, no passado mês de março – asseguram que não têm qualquer informação sobre o caso.

“Não sei nada sobre isto e não tenho qualquer relação com a história de Skripal”, insistiu Alexander Petrov, em nome dos dois suspeitos, acrescentando que não transportaram nenhum produto venenoso.

A jornalista e editora Margarita Simonyan, da estação de televisão RT, revelou que foram os dois indivíduos que telefonaram para o seu telemóvel, mostrando-se disponíveis para serem entrevistados.

Já durante a entrevista, Alexander Petrov e Ruslan Bochirov – que segundo as autoridades britânicas apresentam nomes falsos –recusaram-se a mostrar os seus passaportes. “A nossa vida tornou-se um pesadelo”, afirmaram.

Esta quarta-feira, o Presidente russo Vladimir Putin garantiu que os dois homens suspeitos de terem envenenado Skripal e a sua filha são civis e “não cometeram atos criminosos”, contrariando as informações das autoridades britânicas.