Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Província de Gauteng regista maior número de homicídios em fazendas na África do Sul

Uma árvores baobá, na África do Sul

Getty Images

Os atos de violência em fazendas “referem-se a ações dirigidas aos residentes, trabalhadores ou pessoas de visita às propriedades” com “intenção de assassinar, violar, roubar ou infligir danos corporais, disse o chefe de polícia responsável pela pesquisa criminal e estatísticas, Norman Sekhukhune

A província sul-africana de Gauteng, envolvente a Joanesburgo, registou o maior número de assassinatos em propriedades agrícolas no último ano, anunciou esta terça-feira o governo. Segundo as estatísticas relativas ao período de 1 de abril de 2017 a 31 de março último, apresentadas no parlamento pelo ministro da Polícia, Bheki Cele, depois de Gauteng, seguem-se as províncias do Noroeste e Limpopo, no norte do país.

"Registaram-se 62 assassinatos em fazendas agrícolas e a província com maior número foi Gauteng com 12 homicídios, seguida do Noroeste e Limpopo com nove crimes cada", disse o chefe de polícia responsável pela pesquisa criminal e estatísticas, Norman Sekhukhune.

O responsável da polícia acrescentou que em Mpumalanga e no Estado Livre ocorreram oito homicídios em cada uma destas províncias no último ano, enquanto no KwaZulu-Natal sete, sendo estas as regiões com maior número deste tipo de crimes.

De acordo com Norman Sekhukhune, os atos de violência em fazendas "referem-se a ações dirigidas aos residentes, trabalhadores ou pessoas de visita às propriedades" com "intenção de assassinar, violar, roubar ou infligir danos corporais".

Segundo as estatísticas, um total de 20.336 pessoas morreram naquele período, um aumento de 6,9% em relação ao ano passado, em trajetória ascendente pelo sexto ano consecutivo, correspondendo a uma média de 56 mortes por dia.

Norman Sekhukhune adiantou ainda que a violência relacionada com o transporte de passageiros em miniautocarros de propriedade privada contribuiu com "mais de 200 homicídios" para a taxa de nacional, com Gauteng a registar novamente o maior número, 110. De acordo com Sekhukhune, o Cabo do Norte foi a única província da África do Sul que não registou ocorrências de crimes de homicídio relacionado com este tipo de transporte.