Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Autoridades dos EUA alertam para subida das águas devido ao furacão Florence

Joe RaedleGetty

Dimensão do Florence “é colossal”, afirmou o diretor do centro nacional de furacões norte-americano, Ken Graham, depois de especialistas admitirem que este pode ser um dos furacões mais destruidores das últimas décadas na costa atlântica dos Estados Unidos.

As autoridades meteorológicas dos Estados Unidos alertaram nesta terça-feira para a subida das águas numa vasta área da costa leste devido à aproximação do furacão Florence, que já obrigou à retirada de mais de um milhão de pessoas. O tamanho do Florence "é colossal", afirmou o diretor do centro nacional de furacões norte-americano (NHC), Ken Graham, depois de especialistas admitirem que este pode ser um dos furacões mais destruidores das últimas décadas na costa atlântica dos Estados Unidos.

Os estados da Virgínia, Carolina do Norte e Carolina do Sul mantêm-se como os mais ameaçados pelo Florence, que se mantém na categoria 4 na escala de Saffir-Simpson, composta por cinco níveis, com ventos até 220 Km/h. O estado de emergência foi declarado nestes três estados, medida que permite desbloquear fundos federais.

O furacão progride na direção oeste e noroeste a uma velocidade de 24Km/h, segundo um boletim publicado às 09h00 TMG (10h00 em Lisboa). O furacão deve passar hoje e quarta-feira entre as Bahamas e as Bermudas e chegar na quinta-feira à costa norte-americana.

"O furacão Florence pode causar inundações catastróficas, particularmente nas zonas costeiras" e na entrada da Baía de Chesapeake, advertiu Ralph Northam, governador da Virgínia, estado vizinho da capital federal, Washington. A ordem de evacuação na Virgínia entrou em vigor às 08h00 locais (13h00 em Lisboa) e, segundo o governador, também os habitantes do interior do estado devem preparar-se, porque os efeitos do Florence "vão sentir-se em todo o Estado".

Na Carolina do Sul, a retirada de cerca de um milhão de habitantes deve começar também hoje, por ordem do governador, Henry McMaster, numa faixa litoral de 320 quilómetros de comprimento.

O Presidente, Donald Trump, anunciou oi cancelamento de um comício em Cape Girardeau, no Missuri, onde ia apoiar o candidato republicano ao Senado, Josh Hawley, por razões de segurança relacionadas com a aproximação do furacão. É o segundo comício que Trump cancela devido ao Florence.

Após o Florence formaram-se já no Atlântico o furacão Helene, de categoria 2 e ventos até 175 Km/h, e a tempestade tropical Isaac, com ventos de 110 Km/h.