Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump vai encerrar escritório da Organização para a Libertação da Palestina em Washington

SAUL LOEB/Getty Images

“Os EUA estarão sempre do lado do nosso amigo e aliado Israel”, deverá dizer o conselheiro de segurança nacional John Bolton, de acordo com uma versão revista do discurso a que o diário “The Wall Street Journal” teve acesso. Bolton também planeia ameaçar impor sanções contra o TPI se este prosseguir com as investigações aos EUA e a Israel. Uma das medidas será proibir os juízes e procuradores do tribunal de entrarem no país

A Administração Trump deverá anunciar esta segunda-feira o encerramento do escritório em Washington da Organização para a Libertação da Palestina (OLP). “Os EUA estarão sempre do lado do nosso amigo e aliado Israel”, pode ler-se nas declarações que o conselheiro de segurança nacional John Bolton deverá proferir, de acordo com uma versão já revista a que o diário “The Wall Street Journal” teve acesso.

O escritório não permanecerá aberto “enquanto os palestinianos se recusarem a iniciar negociações diretas e significativas com Israel”, justificará. O jornal tentou contactar as autoridades da missão da OLP mas sem sucesso. Bolton também planeia ameaçar impor sanções contra o Tribunal Penal Internacional (TPI) se este prosseguir com as investigações aos EUA e a Israel. Uma das medidas será proibir os juízes e procuradores do tribunal de entrarem no país.

“Sancionaremos os seus fundos no sistema financeiro dos EUA e processá-lo-emos no sistema criminal dos EUA. Faremos o mesmo com qualquer empresa ou estado que auxilie a investigação do TPI aos americanos”, deverá acrescentar.

Fecho segue-se a transferência de embaixada e corte de financiamento à UNRWA

A delegação da OLP em Washington tem sido um foco de controvérsia, lembra o jornal. No ano passado, depois de o Presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmoud Abbas, pedir a investigação e o julgamento de autoridades israelitas pelo TPI e outros órgãos, Trump avisou que poderia fechar o escritório. Na altura, um dirigente da Autoridade Palestiniana respondeu que o encerramento comprometeria as perspetivas de paz.

A missão da OLP em Washington abriu em 1994 e ingressou no TPI depois de receber o estatuto de observador nas Nações Unidas em 2012. O seu encerramento surge na sequência de outras medidas da Administração Trump que antagonizaram os palestinianos, designadamente a transferência da embaixada norte-americana de Telavive para Jerusalém e o corte do financiamento americano da agência da ONU que presta auxílio aos refugiados palestinianos (UNRWA, na sigla em inglês).