Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Homem preso na Arábia Saudita por ter tomado o pequeno-almoço com uma colega de trabalho

Príncipe Mohammed bin Salman Al Saud tem sido um dos principais rostos na luta contra a corrupção na Arábia Saudita

Anadolu Agency/ Getty Images

Um homem egípcio, empregado num hotel na cidade de Meca, na Arábia Saudita, foi preso e acusado de desrespeitar as leis do reino e de estar a exercer uma função reservada a sauditas, depois de um vídeo que o mostra a tomar o pequeno almoço com uma mulher saudita ter incendiado as redes sociais

Um homem egípcio foi preso na Arábia Saudita depois de um vídeo que o mostra a tomar pequeno almoço com uma mulher saudita, sua colega de trabalho, se ter tornado viral na rede social Twitter.

Na Arábia Saudita as mulheres não podem fazer refeições com um homem que não sejam da sua família. Pastelarias, cafés e restaurantes dividem as salas entre homens solteiros e famílias, sendo que uma mulher sozinha raramente pode sentar-se num destes espaços.

O homem que se vê no vídeo foi preso por representantes do Ministério do Trabalho e do Desenvolvimento Social num hotel na cidade de Meca, alegadamente o seu local de trabalho, e está acusado de“cometer várias violações da lei e de exercer uma profissão reservada a sauditas”, segundo escreve a agência de notícias Reuters.

As redes sociais incendiaram-se com a notícia, principalmente o Twitter que foi onde ela apareceu. Alguns utilizadores brincaram com a “enorme gravidade” de fazer uma refeição com um colega de trabalho, outros criticaram os “egos frágeis” dos homens sauditas que não conseguem aguentar que uma mulher esteja ao lado de outro homem enquanto outros ainda defenderam a decisão das autoridades referindo que uma mulher saudita a trabalhar ao lado de um homem estrangeiro é uma clara violação dos valores e das tradições do reino.

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita tem feito capas de jornais com as suas medidas de “abertura civilizacional” que incluem permitir que as mulheres tirem a carta de condução e que possam entrar em salas de concerto e cinemas. Mas o reino de Mohammed bin Salman está muito longe de ser um sítio livre.

As mulheres continuam a não poder abrir uma conta bancária, por exemplo, e esta é apenas uma das consequências do “sistema de guarda” imposto por lei. O que isto na prática significa é um total controlo das rotinas das mulheres sauditas por parte do “guardião masculino” e que toma por elas a maioria das decisões. O divórcio, por exemplo, só é consentido a uma mulher com a permissão do marido.