Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bolsonaro será submetido a nova cirugia de “grande porte”. Candidato à presidência do Brasil ainda “em estado grave”

Jair Bolsonaro, que representa a extrema-direita brasileira

Foto Rudolfo Buhrer/REUTERS

Jair Bolsonaro foi esfaqueado numa ação de campanha no passado dia 6 e, se ao início, os ferimentos pareciam não dar razão a preocupações com a saúde do candidato à presidência do Brasil, o mais recente boletim clínico mostra que Bolsonaro ainda terá que se submeter a uma nova intervenção “de grande porte”

O estado de saúde de Jair Bolsonaro, o candidato de 63 anos às eleições presidenciais brasileiras de outubro próximo, ainda é considerado “grave” pela equipa de médicos que o acompanha e deverá ser necessária uma segunda cirurgia para o estabilizar.

Bolsonaro foi esfaqueado no dia 6 de setembro, durante uma ação de campanha em Juiz de Fora, no Estado de Minas Gerais. Segundo o boletim médico divulgado à comunicação social esta segunda-feira, o deputado precisará de uma intervenção de "grande porte" para reconstituir o trânsito de partes do intestino, afetadas pela facada.

A atualização do estado do candidato, que concorre apoiado numa plataforma de ideias de extrema-direita, despertou a atenção dos jornalistas já que os boletins anteriormente apresentados não apontavam para a necessidade de qualquer intervenção. Pelo contrário, falavam de um quadro clínico favorável à evolução da saúde de Bolsonaro.

Questionada pelo jornal “Estadão”, a assessoria do hospital disse que o estado “grave” do paciente não representa “uma regressão no progresso clínico do deputado”, que permanece internado nos cuidados intensivos.

De acordo com o novo boletim médico desta segunda-feira, Bolsonaro segue sem sinais de infecção e está a alimentar-se por via endovenosa. O candidato sofre ainda de paralisia intestinal, o que, segundo a equipa médica, é comum nestes casos. Além disso, o candidato ao Planalto, que neste momento segue à frente das sondagens que não incluem o ex-presidente detido Inácio Lula da Silva, está também a fazer fisioterapia respiratória e motora.