Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Manifestações a favor e contra a independência da Catalunha cruzam-se em Barcelona

Enric Fontcuberta / EPA

Cerca de duas mil pessoas manifestaram-se este domingo em Barcelona a favor da unidade de Espanha, naquele que é o primeiro protesto organizado por um particular (e não por partidos ou associações). Grupos independentistas convocaram uma contra-manifestação para a mesma hora, mas a polícia regional conseguiu evitar confrontos

Foi sob o lema “Recuperemos a dignidade” que cerca de duas mil pessoas marcharam desde as Tres Chimeneas da Avenida Paralell até à Praça de Espanha, a partir do meio dia (11h em Lisboa). “Queremos mostrar que nós também fazemos ruído, que metade dos catalães não quer a independência”, declarou uma manifestante ao jornal “El País”.

“Catalunha 100% espanhola”, “Prisão para Puigdemont” e “Se vês um nó, tira-o” eram, segundo a imprensa espanhola, algumas das proclamações que se podiam ouvir durante o protesto convocado pelo empresário José Manuel Opazo, ao qual se juntaram 65 associações e o partido de extrema-direita VOX, representado pelo presidente Santiago Abascal. Nenhum partido com assento parlamentar, contudo, se juntou à manifestação.

Esta é a primeira vez que um protesto é convocado e financiado por um particular e não por partidos políticos ou associações, nota o jornal “El Mundo”. A lista de reivindicações vai desde a unidade de Espanha à rejeição das negociações entre o primeiro-ministro Pedro Sánchez e os partidos independentistas, passando pela exigência de eleições para o Congresso dos Deputados (Parlamento espanhol) de modo a afastar o PSOE - Partido Socialista Operário Espanhol do Palácio da Moncloa.

À mesma hora e a poucos metros desta manifestação, grupos independentistas - que se autointitulam antifascistas - convocaram um contraprotesto que, segundo a imprensa espanhola, teve uma adesão “visivelmente inferior”. Os autodenominados Comités de Defesa da República (CDR) partiram da avenida de Mistral naquilo que apelidaram de uma resposta “contra o fascismo”.

Apesar dos momentos de tensão registados quando as duas marchas se cruzaram na Praça de Espanha, os Mossos d’Esquadra (polícia da Catalunha) conseguiram que os confrontos não passassem de insultos e ameaças. Ainda assim, um homem foi ferido com um bastão na cabeça.