Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Combates no Iémen fazem 84 mortos após fracasso de negociações

YAHYA ARHAB/EPA

A cidade de Hodeida tem sido palco de violentos combates nas últimas 24 horas

Onze combatentes das forças pró-governamentais e 73 rebeldes huthis foram mortos no Iémen em novos combates nas imediações de Hodeida, após o fracasso de negociações que estavam previstas em Genebra, indicaram este domingo fontes médicas e hospitalares.

Este balanço é relativo a combates considerados "violentos" em torno da cidade de Hodeida nas últimas 24 horas.

Segundo as mesmas fontes, registaram-se ainda 17 feridos entre as forças pró-governamentais e "dezenas" nas fileiras rebeldes.

As forças pró-governamentais conseguiram atingir a principal estrada que liga Hodeida à capital, Sanaa, e a outras províncias, de acordo com responsáveis militares iemenitas.

A aviação da coligação liderada pelos sauditas, que combate os rebeldes, lançou vários ataques na referida estrada.

Hodeida e outras regiões do norte do Iémen são controladas desde finais de 2014 pelos huthis, que são apoiados pelo Irão.

A ONU não conseguiu reunir o Governo e os rebeldes iemenitas em negociações que deviam ter começado em Genebra na quinta-feira, reconhecendo o fracasso do diálogo no sábado.

A guerra no Iémen opõe as forças pró-governamentais, apoiadas pela coligação liderada pela Arábia Saudita, aos rebeldes xiitas huthis, ajudados pelo Irão e que ocuparam em 2014 e 2015 vastas regiões do país, incluindo a capital Sanaa. O conflito já causou cerca de 10.000 mortos, na maioria civis e provocou a pior crise humanitária do mundo, segundo a ONU.