Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Depois do furacão, um sismo. Pelo menos 18 mortos na ilha de Hokkaido, no Japão

JIJI PRESS/AFP/Getty Images

Dezenas de pessoas continuam desaparecidas. Cerca de 1,6 milhões de residentes permanecem sem eletricidade. Milhares passaram a noite em centros de acolhimento. A localidade de Atsuma foi uma das mais afetadas, com estradas e casas a desabarem após grandes deslizamentos de terras. Autoridades alertam para a possibilidade de réplicas

As equipas de resgate continuam esta sexta-feira à procura de sobreviventes do forte sismo que abalou a ilha de Hokkaido, no Japão, na véspera e já provocou pelo menos 18 mortos. Dezenas de pessoas continuam desaparecidas, temendo-se que estejam sob os escombros. Cerca de 1,6 milhões de residentes ainda não têm eletricidade.

O terramoto é o segundo desastre natural a atingir o Japão esta semana, depois do furacão Jebi na costa ocidental, e obrigou milhares de pessoas a passarem a noite em centros de acolhimento. A localidade de Atsuma foi uma das mais afetadas, com estradas e casas a desabarem após grandes deslizamentos de terras.

O principal aeroporto da ilha retomou os voos na sexta-feira e a circulação de comboios também deverá ser retomada antes do fim de semana. No entanto, com o mau tempo que se espera para os próximos dias, as autoridades alertam as pessoas para a possibilidade de réplicas do sismo.

O terramoto acontece logo após a passagem do furacão Jebi, o mais forte a atingir o país num quarto de século, que matou pelo menos 11 pessoas e causou danos e perturbações generalizados.