Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Venezuela. Uma centena de detidos por comercializar ouro ilegalmente em Caracas

FEDERICO PARRA/Getty

Governo revelou que durante uma operação policial, em que participaram 120 funcionários da Polícia Nacional Bolivariana foram supervisionadas várias lojas de venda de ouro

As autoridades venezuelanas detiveram nesta quinta-feira uma centena de pessoas por alegadamente comercializarem ouro de forma ilegal no centro de Caracas, capital do país. "Até ao momento são aproximadamente cem os cidadãos detidos por realizar este tipo de transações ilegais que vão ser levados para a sede do Serviço Bolivariano de Inteligência (SEBIN), no Helicoide [em Caracas], onde vão ser verificados os dados e criada a ficha geral de cada detido", explica o Ministério do Interior e Justiça na sua conta na rede social Twitter.

O ministério, referiu que durante uma operação policial, em que participaram 120 funcionários da Polícia Nacional Bolivariana, foram supervisionadas várias lojas de venda de ouro. "Fez-se a detenção preventiva de alguns cidadãos que se encontravam nas proximidades das esquinas de Padre Sierra, La Pedreda, La Bolsa, Muñoz e Conde, e num edifício conhecido como antiga Francia", refere. As autoridades vão continuar com as operações para detetar a venda ilegal de ouro.

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou recentemente o lançamento da oferta de títulos garantidos por lingotes de ouro, uma iniciativa que na sua opinião vai permitir que os venezuelanos poupem e usem aquele metal para solicitar créditos. "A base de ouro, de certificados de poupança em ouro, servirá de base sólida para o sistema creditício e para que o povo possa obter créditos, (para) ir recuperando a capacidade do sistema financeiro. Os certificados em ouro vão ser oferecidos no mercado venezuelano no próximo dia 11 de setembro", declarou Nicolás Maduro.

As compras terão a validade de um ano e os trabalhadores e reformados que adquiram os certificados de lingotes de ouro, poderão trocá-los por bolívares soberanos (Bs.S, moeda local) a cada três meses, explicou. Pelos investimentos em ouro os venezuelanos vão receber certificados eletrónicos, ficando as barras guardadas "nos cofres do Banco Central" da Venezuela e, por cada lingote, serão emitidos dez certificados eletrónicos.

A Venezuela enfrenta uma grave crise política, económica e social que, segundo dados não oficiais, levaram mais de 2,5 milhões de venezuelanos a abandonar o país. A oferta de lingotes de ouro faz parte das novas medidas económicas do Governo venezuelano para tentar equilibrar a economia e ocorre num momento em que o país tem carência de moeda estrangeira para pagar contas e importações.