Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump reage ao artigo do “New York Times”: “É um editorial cobarde”

Chip Somodevilla/Getty Images

Em mais um ataque à sua Administração, o "New York Times" publicou esta quarta-feira um artigo não assinado na sua secção de opinião onde um alegado membro da Casa Branca, próximo de Donald Trump, diz ser parte de uma “resistência” estabelecida por vários funcionários para evitar que o Presidente consiga levar a bom porto todas as suas ideias “sem fundamento”. Donald Trump diz que é só mais um “artigo cobarde” de um jornal “quase a falir”

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu ao artigo publicado de forma anónima no “New York Times”, onde um seu colaborador próximo (ou colaboradora) garante que, dentro da Casa Branca, muita gente se uniu para evitar que Trump exerça todo o poder que deseja exercer.

Em resposta a um grupo de jornalistas que o interpelou sobre o assunto na Casa Branca, Trump disse que o artigo é “um editorial cobarde”. É a segunda vez em dois dias que o Presidente se confronta com a possibilidade de que exista “uma frente” contra os seus “impulsos sem fundamento” formada pelos próprios homens que ele escolheu para a sua Administração. Mas Trump não desarma. “Temos alguém, naquele sítio a que eu chamo o ‘falhado’ jornal ‘New York Times’, a falar de ser parte de uma resistência dentro da Administração Trump. É com isto que temos que lidar”, disse Trump.

Sarah Huckabee Sanders, responsável pela comunicação da Casa Branca, também emitiu um comunicado crítico da pessoa que escreveu o texto. “O indivíduo por detrás deste texto escolheu enganar, em vez de ajudar, o Presidente dos Estados Unidos, que foi justamente eleito. Não está a pôr o nosso país primeiro mas sim a ele mesmo e ao seu ego em primeiro. Este cobarde devia demitir-se”, lê-se no comunicado.

O autor da peça é conhecido dos editores das páginas de opinião e editoriais, que não são geridas pelas mesmas pessoas que são responsáveis pelos departamentos noticiosos do jornal, mas escolheu não dar o seu nome por razões de segurança e para não perder o emprego.

Sanders disse que o jornal também foi irresponsável. “Estamos desiludidos, mas não surpreendidos, que este jornal tenha escolhido publicar este editorial patético, egoísta e inconsequente”, escreveu no comunicado sobre o assunto. A Casa Branca disse ainda que o “New York Times” devia pedir desculpa, referindo que já uma vez o fez, depois da vitória de Donald Trump.

Mas o matutino nunca pediu desculpa. Numa carta aos subscritores do jornal, o diretor executivo apenas admitiu que o “Times” tinha menosprezado o apoio que Trump detinha entre a população norte-americana.