Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Depois de pressões das redes sociais, jornalistas e convidados, Steve Bannon é desconvidado para o festival da “New Yorker”

Sylvain Lefevre/Getty Images

Um dos homens mais importantes na caminhada de Donald Trump até à Casa Branca foi agora desconvidado para o festival da revista norte-americana. “David Remnick [editor] mostrou que não tem coragem”, disse Bannon

A “New Yorker” retirou o convite feito a Steve Bannon para o festival anual da revista. A pressão das redes sociais e o descontentamento de alguns colegas de redação e convidados, que ameaçaram não comparecer caso o antigo estratega de Donald Trump não fosse desconvidado, levou David Remnick a voltar com a palavra atrás, conta a Al Jazeera.

O editor da revista publicou um comunicado no Twitter, na conta da “New Yorker”, explicando todo o processo. A ideia era uma entrevista tradicional, mas só depois surgiu o cenário daquele formato de entrevista diante de uma plateia. Afinal, apesar dos temores de se “dar palco” a alguém como Bannon, a ideia era “fazer pressão nas visões do entrevistado”. Ou seja, “entrevistar Bannon não é apoiá-lo”, explicou Remnick no texto.

O responsável da redação da revista, no entanto, explica no fim que optou por voltar atrás. “Há uma maneira melhor de fazer isto. Os nossos jornalistas entrevistaram Steve Bannon para a "New Yorker" no passado e, se a oportunidade se apresentar, entrevistá-lo-ei num formato jornalístico mais tradicional.” Longe de um palco.

Painelistas convidados como Judd Apatow e Jim Carrey, por exemplo, recusaram estar no mesmo palco do que Bannon. “Se Steve Bannon estiver no festival da "New Yorker", estou fora”, escreveu no Twitter Apatow, rejeitando fazer parte da “normalização do ódio”. Carrey escreveu algo do género: “Bannon? E eu? No mesmo programa? Nunca aconteceria”.

Steve Bannon, que ajudou Trump a entrar na Casa Branca em 2016, reagiu à decisão de Remnick. “A razão para ter aceitado [o convite da revista] era simples: eu ia enfrentar um dos jornalistas mais destemidos da sua geração. No que eu chamaria de momento decisivo, David Remnick mostrou que não tem coragem quando confrontado com o uivar da multidão online.