Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Soldado norte-americano morto e outro ferido no Afeganistão em ataque de recrutas locais

Desde o início de 2018, este foi o sexto soldado norte-americano morto no Afeganistão

Um soldado norte-americano foi nesta segunda-feira morto e outro ficou ferido num atentado supostamente planeado "do interior" e que ocorreu no leste do Afeganistão, informou a coligação militar internacional presente no país asiático.

O militar das Forças Armadas dos Estados Unidos, que não foi identificado, morreu "durante o que parece ser um ataque do interior", assegurou em comunicado o gabinete de comunicação das forças norte-americanas. O soldado ferido "permanece estável", acrescenta o comunicado, sem fornecer mais detalhes sobre o incidente.

"O sacrifício de um membro do nosso exército, que se voluntariou para uma missão no Afeganistão para proteger o seu país é uma parda trágica para todos os que o conheceram e todos os que nunca o conhecerão", disse o chefe dos exércitos dos EUA e da NATO no Afeganistão, Austin "Scott" Miller", que no domingo substituiu o general John Nicholson.

Em 7 de julho, um soldado norte-americano foi morto e dois ficaram feridos durante outro ataque supostamente cometido por recrutas do exército afegão, treinados e dirigidos pelas forças norte-americanas.

A NATO anunciou o fim da sua missão de combate no Afeganistão em janeiro de 2015 mas mantém no terreno 16.000 efetivos, envolvidos no recrutamento e treino das forças militares afegãs. Os EUA participam na missão da NATO no país e fornecem a larga maioria do contingente com 14.000 militares. Para além da formação e do acompanhamento em combate das forças governamentais afegãs, também efetuam missões militares autónomas no combate aos talibãs e grupos 'jihadistas'.

Desde o início de 2018, este foi o sexto soldado norte-americano morto no Afeganistão, e o segundo durante um "ataque do interior". Em 2017, foram mortos 11 militares dos EUA. A guerra do Afeganistão, que se arrasta há 17 anos, é até ao momento a intervenção militar mais prolongada do exército dos Estados Unidos, que já perdeu 2.400 homens neste país e registou cerca de 20.000 feridos.